Porto

Faleceu hoje, 24 de maio, Renato Roque, engenheiro de telecomunicações, antigo professor na FEUP, fotógrafo, escritor, criador, ativista cultural e político inquieto, sempre solidário e presente.

O homem detido pela PSP na noite dos ataques no Porto participou na manifestação organizada pelo grupo neonazi de Mário Machado. Polícia acredita que os restantes suspeitos também pertencem ao grupo 1143.

Partido de extrema-direita marcou manifestação para a manhã de sábado junto ao local onde foram agredidos imigrantes há poucos dias. José Soeiro acusa Rui Moreira de permitir “a celebração de um crime no local onde esse crime aconteceu”.

Pelo menos um dos suspeitos terá ligações ao grupo liderado pelo neonazi Mário Machado. No seu grupo no Telegram celebrou-se o ataque assim que se teve conhecimento das agressões, havendo quem lamentasse que só duas pessoas tenham ido parar ao hospital.

Mais de uma centena de ativistas e imigrantes participaram na concentração convocada pela SOS Racismo e outros coletivos daquela cidade em repúdio pelos ataques racistas da véspera a imigrantes magrebinos. 

Os agressores atacaram na madrugada de sexta-feira. A polícia identificou seis suspeitos e suspeita que têm ligações à extrema-direita, nomeadamente ao “Grupo 1143” liderado pelo neonazi Mário Machado.

A deputada municipal Susana Constante Pereira criticou o executivo da Câmara Municipal do Porto sobre as consultas públicas. Rui Moreira não gostou e saiu, acompanhado dos restantes vereadores eleitos na sua lista.

A Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa, em parceria com o forumdoc.bh (Festival do Filme Documentário e Etnográfico de Belo Horizonte) e o Cinema Trindade, apresenta uma Mostra de Cinemas Indígenas, no Cinema Trindade.

Executivo municipal foi unânime pela anulação da adjudicação do serviço de vigilância à Prestibel, que recusava manter os atuais vigilantes. A vereadora bloquista Maria Manuel Rola diz que foi uma “grande vitória dos trabalhadores”.

Na sequência da mobilização dos trabalhadores e da pressão do Bloco, o executivo propõe para a reunião da próxima segunda-feira a revogação da adjudicação de serviços de segurança à Prestibel, que se recusa a cumprir a lei.

Plataforma de sindicatos da PSP e associações da GNR anunciaram a maior manifestação de sempre, após terem juntado mais de 20 mil profissionais na Avenida dos Aliados, no Porto.

Concentrados nos segmentos de luxo e turismo, centenas de milhões de euros foram investidos por empresas de Israel em imobiliário no Porto.  Manifestantes pela habitação contestam entrada de “capital sionista” no Porto, Francisco Assis falsifica conteúdo dos cartazes.

Após à recusa da Prestibel em manter os trabalhadores depois de ter ganho o concurso para a concessão do serviço, o protesto visou a defesa dos postos de trabalho face ao incumprimento da lei por parte da empresa.

Com mudança de concessão, a empresa Prestibel recusa-se a cumprir a lei e a assumir os cerca de 140 vigilantes afetos aos edifícios da Câmara Municipal do Porto. A mobilização dos trabalhadores levou agora o município a travar entrada da empresa. Bloco exige decisão estável e com todos os direitos.

A recomendação do Bloco de Esquerda foi finalmente aprovada pelo executivo esta segunda-feira e prevê o envolvimento de todos os atores relevantes, a definição de metas concretas e monitorização dos resultados.

Depois da criação de um Núcleo contra o Assédio por estudantes da Escola Superior de Educação, as denúncias sucederam-se. Agora três casos resultaram em sanções disciplinares.

A série estreada em meados dos anos 1980 na RTP deixou marcas e foi várias vezes reapresentada nos ecrãs. Para além das personagens, as canções de Jorge Constante Pereira e Sérgio Godinho também ficaram no imaginário coletivo. Este fim de semana no Batalha estreia um filme musical que traz de volta este universo.

Há autocarros que estão em falta e os utentes queixam-se de falta de informação sobre as carreiras. Em Paredes e Santa Maria da Feira muitos alunos não tiveram autocarro para os levar às escolas.

A estreia da nova rede de autocarros da Área Metropolitana do Porto ficou marcada pelas queixas dos utentes. Bloco anunciou que vai chamar o líder da AMP ao Parlamento para dar explicações sobre o "caos" criado na vida das pessoas.