Ambiente

Ambiente

Dois economistas norte-americanos defendem que os efeitos económicos das alterações climáticas “são comparáveis a ter uma grande guerra no interior do país, para sempre”.

Desde o Acordo de Paris, os 60 maiores bancos do mundo financiaram com 6,9 biliões de dólares mais de 4200 empresas de combustíveis fósseis. Quase metade do dinheiro serviu para as empresas expandirem as suas operações.

INUNDAÇÕES no RIO GRANDE DO SUL

A direita defende que "não devemos politizar” a tragédia no Rio Grande do Sul porque sabe que vai perder o debate e só lhe resta tentar apresentar o crítico como oportunista. Mas a atual crise é fruto do negacionismo climático e de um programa de austeridade neoliberal que foi aprofundado – e denunciado pela esquerda – nos últimos anos.

porMarcos Martim
TRANSIÇÃO CLIMÁTICA

Mariana Mortágua e Catarina Martins juntaram-se numa conferência de imprensa sobre a importância das questões ambientais. Foi anunciado um projeto para parar as minas de lítio e um pacote de medidas a implementar à escala europeia.

Inundações

Os alertas climáticos não foram levados a sério, as ações de mitigação não foram implementadas e a região está presa a um modelo de concentração da riqueza e destruição ecológica que prometia desenvolvimento mas trouxe catástrofe, explica Heverton Lacerda em entrevista ao IHU.

Tejo

O proTejo e outras organizações, como autarquias, organizações ambientalistas, sociais, culturais, afirmam que o país não cumpre a Diretiva Quadro da Água assim causando “danos ecológicos, económicos, sociais e culturais”.

 

Justiça climática

Nos 50 anos da Revolução de Abril, sete coletivos alertam que a justiça climática "exige transportes movidos de forma sustentável, acessíveis e cujo custo não exclua ninguém, que sirva toda a gente, que crie emprego qualificado e com direitos".

Poluição por plásticos

São 196 os representantes de empresas como a Exxon Mobil e Dow registados para participar das negociações sobre o primeiro tratado global para conter a poluição por plásticos, a decorrer em Ottawa, no Canadá, sob a égide das Nações Unidas. Já a delegação enviada pela União Europeia não ultrapassa os 180 membros.

Ambiente

Perto de metade dos estuários mundiais sofreram alterações provocadas pelos seres humanos. Nos últimos 35 anos estas perdas acentuaram-se. A maior parte na Ásia em países de elevado crescimento económico.

Um relatório elaborado por três ONG revela que, entre 2015 e 2023, as áreas marinhas protegidas portuguesas da rede Natura 2000 registaram mais de 150 mil horas de pesca de arrasto de fundo, uma técnica danosa para a biodiversidade. Petição apela à Comissão Europeia para proibir esta prática. 

Até 2050 poderão ocorrer até dez milhões de mortes anuais devido à resistência anti-microbiana. A poluição em setores-chave da economia contribui para o seu desenvolvimento, transmissão e disseminação. O custo disto vai empurrar mais 24 milhões de pessoas para a pobreza extrema.

A análise feita por cinco das maiores organizações ambientalistas europeias conclui que só uma minoria dos deputados no Parlamento Europeu agiu para defender o clima e a natureza e para reduzir a poluição na União Europeia.

O Bloco de Esquerda quer impedir a destruição deste espaço verde ameaçado pela construção de um empreendimento imobiliário. “Esta construção é completamente contrária à vontade da população” refere o deputado Municipal do Bloco, Alexandre Abreu.

Tribunal Europeu

As 2.000 mulheres que compõem a Klimaseniorinnen venceram em tribunal. Uma decisão que abre a porta a novos litígios sobre a inação climática em 46 países. Por Pablo Rivas.

porPablo Rivas

Um relatório mostra como a expansão da aposta na poluição tem continuado apesar dos supostos compromissos. Canadá, Coreia do Sul e Japão são dos que mais dinheiro lançam para a indústria fóssil. “É preciso responsabilizar os países ricos pelo seu papel no financiamento da crise climática”, dizem ambientalistas.