Está aqui

1º dia do Fórum Socialismo: 33 painéis em debate

O Socialismo 2019 começou este sábado a sua ronda de debates. O esquerda.net assistiu a algumas das 33 sessões do dia.
Fotografia de Paula Nunes
Fotografia de Paula Nunes

Logo às 10 horas, o auditório encheu-se para ouvir Pedro Filipe Soares sobre as encruzilhadas à esquerda. À sua exposição, seguiu-se um debate. O líder parlamentar do Bloco fez o balanço político dos últimos quatro anos e expôs as suas considerações sobre o horizonte estratégico do Bloco.

"Não mudámos a nossa perspetiva. O Bloco não perdeu o seu horizonte de transformação, não perdeu a sua identidade, não perdeu o seu programa político, mas também não perdeu a sua capacidade de pontualmente fazer os acordos, ou alianças, ou juntar forças com quem puder juntar forças para determinados objetivos”, afirmou.

Pelas 11h45, o auditório continuou cheio, com Luís Fazenda a falar sobre a esquerda europeia. O orador concluiu que a esquerda na Europa está a "lutar com toda a convicção para travar os movimentos autoritários de extrema-direita" e para "mudar as políticas liberais que abriram as portas à extrema-direita". "Se não tivermos uma rutura e uma alternativa à esquerda, não conseguiremos mudar nem o panorama europeu nem reforçar os direitos sociais e abrir caminho a uma solução pacífica na Europa, no Médio Oriente e nos vários blocos do planeta", afirmou.

Assim, no debate mencionou-se a necessidade urgente de a esquerda não abdicar de valores sociais e de travar a fuga de setores populares para a direita. “Não rejeitamos qualquer tipo de aliança mas não abdicamos dos valores de esquerda essenciais. É fundamental a unidade na ação de combate ao capitalismo autoritário e à extrema direita mas com valores de esquerda demarcados do sistema. Para isso, é igualmente necessária uma reconciliação histórica dos partidos de esquerda com os movimentos sociais e sindicais”, afirmou Luís Fazenda.

A sua proposta de articulação passa por defender “partidos demarcados à esquerda, com programa de esquerda e em aliança com os movimentos sociais”. “A partir daí, podemos fazer unidade de ação com outros partidos”, concluiu.
 

 

À mesma hora, Ana Jorge debatia com Moisés Ferreira a melhor gestão para o SNS. “O SNS enfrenta hoje alguns desafios. Primeiro, para se poder adaptar às novas dificuldades e às novas realidades com a saúde da população. Por outro lado, é preciso atentar a algo que é muito importante, que são os seus recursos humanos. Se não os tivermos, não conseguimos ter um serviço que resposta às necessidades da população”, afirmou a ex-ministra.

Pelas 14h30, iniciou-se um dos debates mais participados do Socialismo até agora. Francisco Louçã, no auditório da escola, galvanizou a plateia ao falar da organização da direita através das redes sociais, mencionando a “extrema-direitização da direita” por esta via.

O economista referiu os aspetos mais estratégicos que serviam de base ao avanço da cultura da direita, munindo-se, para isso, de exemplos de “instagramização” da vida (“instalie”), ou seja, da forma como se cria uma realidade alternativa nas redes sociais, simulando-se uma persona social e, concomitantemente, simulando-se uma comunidade e criando-se uma forma de envolvimento artificial. As redes sociais alteram, assim, a visibilidade social, criam expectativas irrealistas das redes de amizade e mudam a norma da auto-estima, num parâmetro em que fazer difere de parecer.

O pontapé de partida para este debate foi a ideia de que a direita aproveita este fenómeno, com a sua capacidade de criar senso comum, generalizar ideias e explorar preconceitos. E usa o efeito “bombardeamento por conexão”. Recebe-se a mesma notícia falsa de várias pessoas conhecidas, a “verdade que parece mentira mas é verdade porque tanta gente me disse”. A “realidade mentirosa” passa, então, por confundir realidade com verdade. As mentiras constitutivas de uma cultura de destruição, por sua vez, criam comunidades.

“A direita e a extrema-direita recorrem a uma estratégia de 'fabricação' de um senso comum baseado na exploração dos preconceitos e na propagação do ódio. Criam uma nova realidade, ancorada em "factos" fabricados, e apresentam-na como verdade”, afirmou Francisco Louçã. A resposta para isto, no seu entender, passa pela criação de conteúdos de qualidade. Nas campanhas políticas, os “velhos meios” são “excelentes”. Distribuir panfletos, “pôr o corpo na campanha".

“A agressividade tem um problema: separa as pessoas. A nossa alternativa é juntar as pessoas em torno de maiorias. Onde a agressividade procura fechar as pessoas, nós temos de abrir portas”, afirmou.

À mesma hora, José Manuel Rosendo debatia com Alda Sousa as ligações entre Trump e a Palestina. O historiador acredita que “faz todo o sentido pensar num Estado palestiniano, principalmente porque é isso que os palestinianos querem e é isso que está nos Acordos de Oslo”. Contudo, considera que as condições existentes no terreno inviabilizam esse Estado. “É preciso alterar muita coisa, começando pelos colonatos. É impossível chamar Estado a um conjunto de bolsas de terreno que estão próximas umas das outras. Não é esse o conceito de Estado que qualquer cidadão tem”. Assim, devem, no seu entender, ser criadas condições para que esse Estado faça sentido.

Pelas 16h30, Luísa Sotto Mayor e Ana Campos levaram à plateia um debate premente sobre um tema quase invisibilizado: os direitos na hora do parto. As duas profissionais da saúde trouxeram a debate exemplos de violências ocorridas durante os partos, questionando ambientes demasiado intervencionados e mostrando como, não raras vezes, não são protegidos os direitos de privacidade da parturiente nem tido em conta o seu conforto, numa visão exclusivamente biológica do parto.

No mesmo sentido, também o pós-parto tende a não ter os cuidados necessários, já que são ignorados os síndromes de stress pós-traumático. As duas profissionais defendem que o planeamento do parto deve começar na gravidez.

Ao final da tarde, Mariana Mortágua fez um resumo da história do capitalismo. Para a economista e deputada do Bloco, este debate não é um exclusivo português e pode ser aplicado, entre outros, à Alemanha, cuja economia vai a caminho da recessão. “Há grandes grupos que concentram grande parte dos lucros e dos financiamentos, mas não os investem, não criam emprego, não ajudam ao desenvolvimento produtivo nem ao combate às alterações climáticas”, afirmou, notando que há cada vez mais gente a questionar o efeito perverso para a economia e a sociedade no seu todo da “concentração de riqueza nas mãos de poucos mas muitos poderosos grupos capitalistas".

O Fórum Socialismo continua este domingo, com mais 18 painéis de debate e uma sessão de encerramento.

Para saber mais sobre o Fórum Socialismo 2019, clique aqui.

(...)

Resto dossier

O Fórum Socialismo 2019 realiza-se de 31 de agosto a 2 de setembro na Escola Artística Soares dos Reis, no Porto.

Fórum Socialismo 2019

Neste dossier, apresentamos vários textos de introdução a diversos painéis e debates, que decorrerão entre 30 de agosto e 1 de setembro no Fórum Socialismo, na Escola Artística Soares dos Reis, no Porto.

Fotografia de Paula Nunes

2º dia do Fórum Socialismo: 18 painéis em debate

O Socialismo 2019 terminou este domingo a sua ronda de debates. O esquerda.net assistiu a algumas das 18 sessões do dia.

Fotografia de Paula Nunes

1º dia do Fórum Socialismo: 33 painéis em debate

O Socialismo 2019 começou este sábado a sua ronda de debates. O esquerda.net assistiu a algumas das 33 sessões do dia.

O meu ofício de poeta para a reconstrução do mundo

Texto de Pedro Lamares de apoio ao debate "Recordar Sophia de Mello Breyner", que terá lugar no Fórum Socialismo 2019 no sábado, 31 de agosto, às 18h15, no Porto.

EUA x China: para além da guerra comercial, há uma disputa pela hegemonia tecnológica

Texto de Luis Leiria de apoio ao debate “EUA x China: para além da guerra comercial, há uma disputa pela hegemonia tecnológica”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 10 horas, no Porto.

Fotografia de Paulete Matos

Será com o Mexia que vamos reduzir as emissões?

Texto de Jorge Costa e Miguel Heleno de apoio ao debate “Será com o Mexia que vamos reduzir as emissões?”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 11h45, no Porto.

Fotografia de Paulete Matos

Desafios na governação de uma cidade

Texto de Manuel Grilo e Filipa Gonçalves de apoio ao debate “Desafios na governação de uma cidade”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no domingo, 1 de setembro, às 14h30, no Porto.

Fotografia de Paulete Matos

Pluridiscriminações de género. A luta pela igualdade, retrocessos e caminhos

Texto de Sandra Cunha e Cyntia de Paula de apoio ao debate “Pluridiscriminações de género. A luta pela igualdade, retrocessos e caminhos”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no domingo, 1 de setembro, às 10 horas, no Porto.

Fotografia de Paulete Matos

Quem protege as Comissões de Proteção de Crianças e Jovens?

Texto de Paula Nogueira e Célia Carvalho de apoio ao debate “Quem protege as Comissões de Proteção de Crianças e Jovens?”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 10 horas, no Porto.

Fotografia de Paulete Matos

Como se muda a escola? Doze anos de escolaridade: e agora?

Texto de Alexandra Vieira de apoio ao debate “Como se muda a escola? Abertura de um processo sobre revisão curricular”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 10 horas, no Porto.

Fotografia de Ana Bárbara Pedrosa

Quanto mais Trump, menos Palestina

Texto de Alda Sousa e José Manuel Resende de apoio ao debate “Quanto mais Trump, menos Palestina”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 14h30 horas, no Porto.

Fotografia: académicos, intelectuais e ativistas sociais apelam, à escala latino-americana e internacional, ao fim da violência e ao “diálogo político e social” na Venezuela, 2017.

Venezuela, um país bloqueado

Texto de Carlos Santos de apoio ao debate “Venezuela”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no domingo, 1 de setembro, às 10 horas, no Porto.

Fotografia de Paulete Matos

1969 – O Ano que Nunca Terminou

Texto de Maria Manuela Cruzeiro de apoio ao debate “50 anos da crise académica”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no domingo, 1 de setembro, às 14h30 horas, no Porto.

Fotografia de Paulete Matos

Como tornar os Transportes Públicos gratuitos?

Texto de Heitor de Sousa de apoio ao debate “Como tornar os Transportes Públicos gratuitos?”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 11h45, no Porto.

Fotografia: Reprodução/Karilayn Areias

O samba como movimento político: conferência cantada

Texto de Luca Argel de apoio ao debate “O samba como movimento político: conferência cantada”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no domingo, 1 de setembro, às 14h30, no Porto.

Fotografia: precarios.net

Combater as novas formas de precariedade

Texto de Nelson Silva de apoio ao debate “Combater as novas formas de precariedade”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 14h30, no Porto.

Fotografia: commons/wikimedia.org

A concepção do processo revolucionário em Rosa Luxemburg

Texto de António Louçã de apoio ao debate “Rosa Luxemburgo”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 16h30, no Porto.

Fotografia de Paulete Matos

Por uma Academia de Iguais

Texto de Teresa Summavielle de apoio ao debate “Transformar a academia”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no domingo, 1 de setembro, às 11h45, no Porto.

Fotografia de Paulete Matos

Como se muda a escola? Abertura de um processo sobre revisão curricular

Texto de Adelino Calado de apoio ao debate “Como se muda a escola? Abertura de um processo sobre revisão curricular”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 10 horas, no Porto.

Fotografia de Hugo Evangelista

Como resgatar os CTT para a esfera pública?

Texto de Roberto Tavares de apoio ao debate “Como resgatar os CTT para a esfera pública?” , que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 10h, no Porto. O debate será dinamizado por Joni Ledo e Roberto Tavares.
Fotografia de Paulete Matos

O que é o municipalismo de esquerda? 2/2

Texto de Ana Garron de apoio ao debate “O que é o municipalismo de esquerda?”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 16h30, no Porto. O debate será dinamizado por José Castro e Ana Garron.

Fotografia de Paulete Matos

Transformar a Academia: o poder em disputa

Texto de Luís Monteiro de apoio ao debate “Transformar a Academia“, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no domingo, 1 de setembro, às 11h45 horas, no Porto.

Política de drogas em Portugal

Texto de Adriana Curado, Bruno Maia e Henrique Barros de apoio ao debate “Política de drogas em Portugal?”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 14h30, no Porto.

Fotografia de Paulete Matos

Pela nossa saúde: respostas públicas para o envelhecimento

Texto de Nuno Veludo de apoio ao debate “Pela nossa saúde: respostas públicas para o envelhecimento“, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no domingo, 1 de setembro, às 11h45 horas, no Porto.
Imagem de andrelemos.info

Eles andam por aí nas redes sociais: a nova direita

Texto de Francisco Louçã de apoio ao debate “Eles andam por aí nas redes sociais: a nova extrema-direita”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 14h30, no Porto.

Fotografia de Paulete Matos

O que é o municipalismo de esquerda? I/II

Texto de José Castro de apoio ao debate “O que é o municipalismo de esquerda?”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 16h30, no Porto. O debate será dinamizado por José Castro e Ana Garron.

Fotografia de Paulete Matos

A história do capitalismo português em 40 minutos

Texto de Mariana Mortágua de apoio ao debate “A história do capitalismo português em 40 minutos”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 18h15, no Porto.

Fotografia: theglobepost.com

Nações sem Estado

Texto de Isabel Pires de apoio ao debate “Nações sem Estado”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 14h30 horas, no Porto.

Fotografia de Paulete Matos

CTT: nacionalizar e reabrir. A exceção que falta.

Texto de Joni Ledo de apoio ao debate “Como resgatar os CTT para a esfera pública?“, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 10 horas, no Porto.

Texto de Rui Cortes de apoio ao debate “Regionalização: uma descentralização democrática”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019

Regionalização – a receita mágica para a coesão territorial?

Texto de Rui Cortes de apoio ao debate “Regionalização: uma descentralização democrática”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 16h30, no Porto. O debate será dinamizado por Rui Cortes e Helena Pinto.

Fotografia de Paulete Matos

Políticas para envelhecimento de qualidade - políticas para todos e todas!

Texto de Lúcia Cunha de apoio ao debate “Pela nossa saúde: respostas públicas para o envelhecimento”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no domingo, 1 de setembro, às 11h45 horas, no Porto.
Fotografia de Paulete Matos

Uma nova era na forma de encarar o parto e os cuidados a ter

Texto de Ana Campos e Luísa Sotto Mayor de apoio ao debate “Uma nova era na forma de encarar o parto e os cuidados a ter", que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 16h30, no Porto.

Trabalhadores por turnos, batalha pelo tempo e pela saúde

Texto de Alexandre Café de apoio ao debate “Trabalho por turnos: custos na vida familiar e social”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 11h45, no Porto. O debate será dinamizado por Joana Neto e Alexandre Café.

Alternativa de integração à praxe: disputa cultural nas universidades

Texto de João Teixeira Lopes de apoio ao debate “Alternativa de integração à praxe: disputa cultural nas universidades”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no domingo, 1 de setembro, às 10 horas, no Porto.

Trabalhadores por turnos: uma legislatura e uma oportunidade perdida

Texto de Joana Neto de apoio ao debate “Trabalho por turnos: custos na vida familiar e social”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no sábado, 31 de agosto, às 11h45, no Porto. O debate será dinamizado por Joana Neto e Alexandre Café.

Fórum Socialismo 2019: de 30 de agosto a 1 de setembro no Porto

Luca Argel, Pedro Lamares e Miguel Duarte são alguns dos convidados para o fórum de debates organizado anualmente pelo Bloco de Esquerda.

50 anos da Crise Académica de 1969: Crises, história e memória

Texto de Miguel Cardina de apoio ao debate “50 anos da crise académica”, que terá lugar no Fórum Socialismo 2019, no domingo, 1 de setembro, às 14h30 horas, no Porto.