Está aqui

Tunísia: Revolta prossegue

A revolta dos jovens tunisinos contra as difíceis condições de vida e a ditadura de Ben Ali continua, apesar da dura repressão do regime. Desde o início da revolta já morreram 74 pessoas.
Jovens prosseguem a revolta - Confrontos nos arredores de Tunes

Nesta quarta feira o regime instaurou o recolher obrigatório e convocou o exército. Apesar das medidas, a revolta prosseguiu e nesta quinta feira o regime substituiu o exército por forças especiais da polícia.

Durante a noite de quarta para quinta feira, os confrontos entre jovens e as forças repressivas prosseguiram nos arredores de Tunes, apesar do recolher obrigatório. Já nesta quinta feira, verificaram-se novos confrontos entre a polícia e jovens que se manifestavam nas ruas dos arredores da capital.

Durante a noite, morreram mais 8 pessoas e mais de 50 ficaram feridas.

Segundo a presidente da Federação internacional das ligas de direitos do homem (FIDH), a tunisina Souhayr Belhassen, desde o início da revolta, em 17 de Dezembro de 2010, já morreram 74 pessoas, das quais 66 já identificadas.

A FIDH pede a criação de uma comissão de inquérito internacional sobre a repressão das manifestações na Tunísia. A FIDH denuncia ainda o “uso desproporcionado da força [pela polícia], incluindo tiros com balas reais” e diz que “teme que a situação se deteriore ainda mais, num contexto em que as liberdades fundamentais são sistematicamente bloqueadas e em que a impunidade dos autores de violações dos direitos humanos é total”.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)