Está aqui

Miguel Relvas admite encontro de negócios com Silva Carvalho

Ao contrário do que já havia afirmado anteriormente perante a comissão de Assuntos Constitucionais, Miguel Relvas admitiu esta quarta feira ter mantido uma “reunião de trabalho” com Jorge Silva Carvalho em março de 2011.
Foto de MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Há cerca de duas semanas, Miguel Relvas, ao prestar esclarecimentos perante os deputados que compõem a 1ª comissão, declarou que nem ele, nem ninguém próximo de si ou do seu gabinete, tinha mantido algum contacto com o Dr. Jorge Silva Carvalho, ex diretor do Serviço de Informações Estratégicas e Defesa (SIED), e que não tinha qualquer relação com o processo de reforma das secretas. O ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares também afirmou que apenas tivera encontros fortuitos com Jorge Silva Carvalho, durante os quais apenas conversaram sobre banalidades políticas.

Cerca de uma semana depois, a veracidade das declarações de Miguel Relvas foi posta em causa, ao ser tornada pública a relação entre o seu adjunto, Adelino Cunha, e Jorge Silva Carvalho. O membro do gabinete do ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares terá assumido ter mantido “contactos” durante o período em que exerceu funções e apresentou a sua demissão.

Entretanto, tem também vindo a ser divulgado o conteúdo da agenda de Jorge Silva Carvalho e os sms trocados com várias personalidades, entre as quais Miguel Relvas.

Perante as evidências, o ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares não teve como negar, durante a audição em sede de comissão parlamentar, que teve lugar esta quarta feira, os dois encontros com o ex diretor do SIED, que tiveram lugar nos dias 16 e 30 de março de 2011.

No que respeita ao almoço de negócios realizado a 30 de março, estaria em causa a delineação de um acordo entre a Finertec, empresa na qual Miguel Relvas era, à data, administrador, e a Ongoing, e cujo objetivo era a prospeção de mercado em várias áreas de negócio, em Angola e no Brasil.

Neste encontro, que teve lugar na Sala Tejo da Ongoing, estiveram também presentes, além do ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares e Jorge Silva Carvalho, administrador de várias empresas do grupo Ongoing, Nuno Vasconcellos, chairman da Ongoing e Braz da Silva, CEO da Finertec, entre outros.

No que respeita ao café agendado para o Hotel Ritz, no dia 16 de março, onde este também presente Luís Neves, diretor adjunto da Polícia Judiciária, Miguel Relvas não esclareceu, quando questionado pela deputada do Bloco Cecília Honório durante a audição parlamentar, qual terá sido o intuito do encontro.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
(...)