Está aqui

Cofina e Grupo Bel confirmam aquisição da VASP à Autoridade da Concorrência

O Grupo Bel e a Cofina Media adquiriram a participação da Impresa, ficando ambas com 50% da distribuidora. Ambos os grupos procederam a despedimentos coletivos nos últimos meses.
A aquisição da participação da Impresa na VASP terá sido condicionada à aquisição da participação na Lusa.
A aquisição da participação da Impresa na VASP terá sido condicionada à aquisição da participação na Lusa. Foto via kstudio/Flickr.

O Grupo Bel e a Cofina Media notificaram este sábado a Autoridade da Concorrência (AdC) sobre a aquisição do controlo conjunto da Vasp - Distribuidora de Publicações. A notificação sucede-se à compra em partes iguais da participação de 33,3% da Impresa na Vasp, por 2,1 milhões de euros, que se afasta definitivamente da empresa, bem como da Lusa.

 

O Grupo Bel, que, através da Global Media detém o Diário de Notícias, Rádio TSF, Jornal de Notícias, entre outros, procedeu a um despedimento coletivo de 81 trabalhadores no final de 2020. Por seu lado, o Grupo Cofina, que detém o Correio da Manhã, o Jornal de Negócios, a revista Sábado e o canal televisivo CMTV, entre outras publicações, vai proceder ao despedimento coletivo de 26 trabalhadores. Ambos os grupos receberam ajudas do Estado no âmbito dos apoios à comunicação social.

A venda da participação da Impresa na Lusa era um objetivo de longa data de Pinto Balsemão. O interesse de Marco Galinha na distribuidora VASP foi o veículo onde a Impresa incluiu a venda da sua participação na Lusa como condição para o negócio, confirmado a 4 de janeiro de 2021 no contrato de promessa entre a Páginas Civilizadas (empresa do Grupo Bel, de Marco Galinha) para a aquisição de ambas as participações.

 

Perante este cenário, o grupo Cofina, já detentor de 33,3% da VASP, anunciou a 14 de fevereiro a intenção de exercer o seu direito de preferência, adquirindo 16,7% da distribuidora por 1,050 milhões de euros. "O exercício do direito de preferência pela Cofina Media foi consensualizado com a Páginas Civilizadas, a Impresa e a Global Media, SGPS, esta última atualmente detentora de 33,33% do capital social da Vasp", refere a empresa de Paulo Fernandes, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

 

"A concretizar-se tal aquisição, sujeita à não oposição da Autoridade da Concorrência, a Cofina Media passará a deter 50% do capital social da Vasp, sendo os remanescentes 50% do capital da sociedade detidos pela Global Media (33,33%) e pela Páginas Civilizadas (16,67%)", explicou a Cofina citado pelo jornal Expresso.

 

Com a aquisição da participação da Impresa na Lusa, o empresário Marco Galinha passa a controlar 45,71% da agência pública de notícias.

Termos relacionados Cultura
Comentários (1)