You are here

Marcha lenta pelo fim das portagens na A25 e A23

A Plataforma P’la Reposição das SCUTS A23 e A25 está a convocar uma marcha lenta na próxima sexta-feira, 20 de novembro, a partir de vários pontos: Castelo Branco, Covilhã, Guarda e Fundão. Artigo publicado em Interior do Avesso
Marcha Lenta pela abolição das portagens
Foto de Plataforma P'la Reposição das SCUTS A23 e A25 | Facebook

O protesto culminará às 17h30 na rotunda da A23 do Fundão, com o encontro de todos os participantes oriundos dos diferentes trajetos. O início dá-se às 16h00 na Rotunda do “G”, na Guarda, 16h45 no Campo de Futebol de Castelo Branco e no Jardim das Artes da Covilhã, e às 17h20 no Fundão, na Rotunda da A23 (Alcongosta), existindo outros pontos chave intermédios.

A realização desta marcha lenta foi aprovada no passado dia 22 de outubro na Assembleia Cívica de Indignação ocorrida na Covilhã. O objetivo é mostrar ao Governo que a medida que prevê descontos nas portagens a partir de janeiro de 2021 não serve os interesses da região.

Recorde-se que a medida aprovada no final de outubro pelo Conselho de Ministros entrará em vigor a 1 de janeiro de 2021 e prevê uma redução de 25 por cento para os veículos de classe 1 e 2, mas apenas a partir do oitavo dia de utilização no período de um mês.

Está também previsto um aumento do desconto para o transporte de mercadorias e o alargamento destes descontos ao transporte de passageiros. Os descontos passam de 30 para 35 por cento durante o dia e de 50 para 55 por cento durante a noite, fins-de-semana e feriados.

Em reações ao anúncio da medida, Luís Garra, coordenador da união de sindicatos de Castelo Branco, que também integra a Plataforma, classificou a decisão do Governo “um embuste”.

Artigo publicado em Interior do Avesso.

Termos relacionados Sociedade
(...)