Está aqui

Francisco Louçã

Professor universitário. Ativista do Bloco de Esquerda.

Artigos do Autor(a)

22 de Janeiro, 2020 - 22:41h

É cruel lembrar, mas não deixa de ser verdade, que estas aplicações do dinheiro extorquido de Angola eram barradas noutros países europeus (…) Ser pago em dinheiro angolano passou a ser uma das etiquetas de muita da elite portuguesa.

16 de Janeiro, 2020 - 09:59h

Apesar de a contragosto, o PS não se conseguiu limitar a discutir com o PCP, mais algum voto de oportunidade, foi forçado a tratar de questões orçamentais essenciais com outros partidos, incluindo aquele que queria excluir.

13 de Janeiro, 2020 - 11:44h

Mexam-se, diz ele [Draghi], façam orçamentos que aumentem o investimento, que expandam a procura agregada, que subam os salários e pensões.

9 de Janeiro, 2020 - 10:45h

Para um investimento mais reduzido, de 31.200 milhões de euros, a necessidade de repor capital gasto já era de 32.000 milhões de euros. O capital aplicado está a minguar. Os lucros não são investidos.

6 de Janeiro, 2020 - 23:50h

O Governo austríaco tem um programa e uma liderança de direita, o espanhol tem uma orientação de centro com uma aliança à esquerda. Ambas as soluções exprimem o recuo ou a decadência das forças tradicionais que governavam estes países.

3 de Janeiro, 2020 - 21:28h

O episódio dos dois mil euros pagos à mulher do presidente do Crédito Agrícola pode ter entrado no anedotário nacional mas se acrescentarmos vários zeros à direita notaremos fenómenos comparáveis que fizeram a história recente.

1 de Janeiro, 2020 - 15:34h

Os hotéis de Trump já cobraram ao governo o equivalente a 296 anos do salário do Presidente. Uma vez chegado à Casa Branca, aproveitou-se para fazer um lucrativo negócio em proveito próprio.

30 de Dezembro, 2019 - 17:46h

As farmacêuticas não estão dispostas a arriscar na investigação em antibióticos. Sobram os Estados e as universidades. Só eles defenderão os nossos filhos.

28 de Dezembro, 2019 - 11:45h

A partir de agora haverá quem lembre a Ventura que ele fez parte do partido que declarou que tinha como objetivo “empobrecer os portugueses”, momentos solenes em que o dito senhor não gritou “vergonha”.

26 de Dezembro, 2019 - 15:24h

O Orçamento insiste em mobilizar quase ninguém e em oferecer soluções escassas para problemas graúdos.

Páginas