Está aqui

SNS e Escola Pública são pilares da democracia

De manhã na Unidade de Saúde Familiar da Baixa, em Lisboa, e à tarde na escola de Marrazes, em Leiria, Catarina Martins destacou estes bons exemplos de serviços públicos. E alertou que a direita quer aproveitar as fragilidades dos serviços públicos para os privatizar, enquanto o Bloco exige o seu reforço.
Catarina Martins na visita à USF da Baixa | Foto de Pedro Gomes Almeida

Numa visita esta sexta-feira de manhã à Unidade de Saúde Familiar (USF) da Baixa, em Lisboa, Catarina Martins afirmou que esta estrutura “é um exemplo no país de que os serviços públicos têm dado uma resposta extraordinária, mesmo com condições muito complicadas”.

Para a coordenadora nacional do Bloco, são os serviços públicos que prestam os melhores cuidados de saúde à população. No entanto “precisamos, seguramente, de resolver as fragilidades que o SNS e o serviço público acumulam há anos”.

Catarina criticou a proposta de Rui Rio, que quer “enviar os utentes que não têm médico de família para os hospitais privados para terem uma consulta de vez em quando”, mas para o Bloco “a solução não é seguramente essa, a solução passa por garantir que toda a população em Portugal tenha acesso a um médico de família”.

 

A solução não passa por destruir o serviço público quando aparece algum problema, alertou Catarina Martins, mas “por reforçá-lo e garantir que toda a gente tem acesso aos melhores exemplos do país e é para isso que cá estamos. A solução não passa por destruir aqueles que são os pilares da democracia, como o SNS, que nos tem respondido todos os dias”. 
 
“Hoje dedicamos o dia a mostrar o melhor que o país tem, os serviços públicos que nunca nos faltaram, aqui estamos numa USF em que os médicos fazem a resposta ao covid e ao não covid com imensas dificuldades, mas toda a equipa não parou um minuto para dar o melhor que tem ao país. As soluções sim são discutidas à esquerda porque onde a direita vê privatizações do serviço público, a esquerda sabe a responsabilidade de pegar nos melhores exemplos, nas melhores práticas e as tornar realidade em todo o país”. disse a coordenadora do Bloco. 
 

Catarina: Escola Pública é a garantia de igualdade, coesão social e qualificação das pessoas

Esta sexta-feira à tarde, Catarina Martins visitou o Agrupamento de Escolas de Marrazes, em Leiria, para salientar o papel da escola pública como um instrumento fundamental de igualdade, de coesão social e de qualificação das pessoas. 
 
Em declarações à imprensa após a visita, a coordenadora nacional do Bloco de Esquerda disse que a escola de Marrazes “é um exemplo do que a escola pública é capaz de fazer. É uma escola em que há crianças das mais variadas nacionalidades, em que há comunidades muito diversas e aqui temos a escola pública a fazer um serviço público fundamental”. 
 
Catarina teceu críticas ao cheque de ensino proposto pela direita, que não é mais “do que um desconto para os pais que já têm os filhos na escola privada, mas que para a generalidade das famílias portuguesas, que dependem da escola pública e que contam com a escola pública, não serve para absolutamente nada”. 
 
Para Catarina Martins é muito importante “vincular professores porque é com um corpo docente estável que se faz exemplos de escola como esta aqui que visitamos. Mas é importante respeitar as carreiras não só dos professores, mas de todos os profissionais da escola”. 
 
“O SNS e a escola pública são serviços públicos fundamentais que garantem a igualdade do território e garantem o desenvolvimento ao país que são pilares da democracia e nestas eleições nós vemos como a direita tenta aproveitar as fragilidades, que nós não negamos que existem, para privatizar”. Pelo contrário, a proposta do Bloco passa por “dar condições à escola para funcionar, como ao SNS para funcionar da melhor forma”, finalizou.
Termos relacionados Legislativas 2022, Política
(...)