Está aqui

Salvini vai ser julgado pela sua política de migração

Senado italiano decide levantar imunidade ao deputado acusado de “privação de liberdade” e “abuso de poder” ao bloquear o desembarque de mais de cem migrantes. Se for condenado arrisca até 15 anos de prisão.
Salvini vai ser julgado pela sua política de migração
Salvini foi vice primeiro ministro e ministro do Interior de Itália até agosto de 2019. Foto de European Parliament/Flickr.

Matteo Salvini, ex-ministro italiano e líder do partido de extrema direita Liga, vai a julgamento depois de o Senado (a câmara alta do parlamento do país) lhe levantar a imunidade com 152 votos a favor e 76 contra. Em causa estão acusações de sequestro depois de bloquear o desembarque de 131 migrantes em julho de 2019.

A acusação, a ter lugar num tribunal de Catania, na Sicília, é de “abuso de poder” e “privação de liberdade” dos 131 migrantes.

Em julho de 2019 Salvini era ministro do Interior no Governo de coligação entre a Liga e os populistas do Movimento 5 Estrelas. Salvini impediu que os migrantes resgatados desembarcassem do navio Gregoretti, da guarda costeira italiana, tendo estes ficado fechados durante cinco dias.

A Lusa cita declarações do líder da extrema direita italiana ao jornal La Stampa, afirmando este que se limitou a “defender o país”.

“É uma loucura, não sei quanto custa em termos de pessoal e de dinheiro demonstrar que sou um criminoso, mas não tenho medo e explicarei que defendi o meu país”, afirmou. Matteo Salvini disse ainda ter tentado pressionar os restantes países da União Europeia a aceitar acolher estes migrantes.

"Defendi a Itália. Tenho total e completa fé no sistema judiciário", afirmou Salvini após a votação. "Não estou preocupado e tenho orgulho do que fiz", disse ele, acrescentando que "faria de novo quando voltar ao poder".

A Liga votou a favor do julgamento do líder do partido na Junta de Imunidade Parlamentar do Senado de Itália. O objetivo passa por conquistar espaço nos media e votos junto do eleitorado anti imigração a tempo das eleições regionais em Emília-Romanha.

Se for condenado, Matteo Salvini arrisca uma pena de prisão que pode ir até 15 anos e poderá ficar impedido de concorrer ou manter-se em quaisquer cargos políticos durante oito anos.

Depois de ter sido vice-primeiro ministro e ministro do Interior num Governo de coligação com o Movimento 5 Estrelas, a Liga rompeu a coligação no passado agosto. O plano de provocar eleições antecipadas falhou quando os populistas do Movimento 5 Estrelas se coligaram com o Partido Democrático.

Termos relacionados Internacional
(...)