Está aqui

Presidenciais na Ucrânia: previsões apontam para Zelenskiy

De acordo com as primeiras previsões assentes em sondagens à boca das urnas, o ator e comediante Volodymyr Zelenskiy venceu as eleições na Ucrânia, com 73% dos votos.
Fotografia: commons/wikimedia.org
Fotografia: commons/wikimedia.org

Os ucranianos voltaram este domingo às urnas para uma segunda volta das presidenciais disputada por dois candidatos: o ator e humorista Volodymyr Zelensky, que liderou as sondagens após uma vitória clara na primeira volta em 31 de março (30%), e o presidente Petro Poroshenko (16%), que tentava a reeleição.

Assim, este resultado, a confirmar-se, significa a derrota do presidente Petro Poroshenko, saído da eleição que se seguiu à Revolução de 2014, ao exílio de Viktor Yanukovitch, então presidente, e à crescente tensão com os pró-russos.

Volodymyr Zelenskiy é estreante nas lides eleitorais. O ator de 41 anos é protagonista de uma série cómica chamada “Servidor do povo”, que conta a história de um professor que se torna presidente depois de um vídeo em que atacava a corrupção do sistema se tornar viral. Da representação televisiva para a política, Zelenskiy conseguiu capitalizar a popularidade da sua personagem.

A corrupção foi o principal foco da campanha deste candidato. Da sua plataforma eleitoral destaca-se a proposta de banir perpetuamente de cargos público quem seja condenado por esta razão. Outros pontos importantes são o cessar-fogo e a abertura de negociações diretas com a Rússia para tentar acabar com o conflito no leste do país que, desde 2014, causou cerca de 13 mil vítimas.

Avesso aos media, Zelenskiy fez a campanha pelas redes sociais e contou com o apoio em massa da juventude, num país cheio por casos de corrupção e que está num conflito latente com a Rússia.

Por sua vez, a campanha de Poroshenko seguiu a linha de fazer passar o seu principal rival por incompetente — portanto, incapaz de lidar com Putin — e também por envolvê-lo na teia dos interesses dominantes,  acusando-o de ser um testa-de-ferro de Igor Kolomoysky, outro dos magnatas que disputam o poder no país. Kolomoysky vive em Israel e é dono do canal que passa a série de Zelenskiy. Poroshenko queixa-se de que, com esta candidatura, Kolomoysky se tenta vingar do facto de o atual presidente ter nacionalizado o seu banco em 2016.

País com 45 milhões de habitantes às portas da União Europeia (UE), a Ucrânia é hoje considerado um dos Estados mais pobres da Europa.

Termos relacionados Internacional
(...)