Está aqui

Motorista da Vimeca agredido em Massamá

PSP confirmou que o motorista agredido é o mesmo que denunciou Cláudia Simões às autoridades no passado domingo. Cláudia afirma estar chocada com agressão e garante que nem ela nem a família tiveram algo a ver com este ataque.

Segundo o porta-voz da direção nacional da PSP, a agressão ocorreu na noite de sexta-feira, pelas 21h20, quando o motorista estacionou o autocarro da Vimeca na paragem de Massamá e se preparava para iniciar um novo percurso. O homem foi transportado para o hospital Amadora-Sintra com ferimentos de “alguma gravidade”, sinalizou o intendente Nuno Carocha. A PSP avança ainda que foi para o local e “já referenciou algumas pessoas”.

De acordo com as autoridades, o motorista em causa é o mesmo que, no passado domingo, pediu a intervenção da polícia para denunciar Cláudia Simões, que terá acabado por ser vítima de agressão policial e de insultos racistas por parte do agente da PSP que a deteve na Amadora.

Cláudia Simões já veio reagir ao ataque contra o condutor da Vimeca, referindo estar chocada com agressão. Cláudia garante que nem ela nem a família tiveram algo a ver com este ataque.

Em declarações ao jornal Público, afirmou que quer “deixar claro” que nem ela nem a sua família tiveram algo a ver com o que se passou com o motorista, “tal como a PSP sabe", acrescentando que "não se consegue sequer lembrar da cara do motorista".

“Gostava que todos soubessem que não tive nenhum problema com este senhor. O meu problema é com o agente Carlos Canha, que me agrediu, e com os agentes que assistiram", vincou.

Termos relacionados Sociedade
(...)