Jovens do Bloco divulgam programa do Acampamento Liberdade 2023

03 de julho 2023 - 16:49

De 27 a 30 de julho, os jovens do Bloco voltam a juntar-se no acampamento de verão no Parque de Campismo de São Gião, em Oliveira do Hospital.

PARTILHAR
Acampamento Liberdade 2018
Acampamento Liberdade em 2018. Foto Esquerda.net

Já estão abertas as inscrições para o Acampamento Liberdade 2023, promovido pelos jovens do Bloco. O programa foi divulgado no fim de semana e conta com treze debates e três workshops, além de festas todas as noites no Parque de Campismo de São Gião, em Oliveira do Hospital.

O Acampamento Liberdade 2023 arranca na noite de quinta-feira, 27 de julho, com uma sessão de abertura e um concerto do coletivo feminino de hip-hop Hellas. Na sexta-feira, dia 28, a manhã é preenchida com duas sessões. A primeira junta Luís Fazenda e Sofia Lopes para uma apresentação da história e das ideias do Bloco, intitulada “Quem somos, de onde vimos, para onde vamos”. Em seguida, Joana Mortágua e Beatriz Realinho apresentam a sessão “Transgredir o género, construir a luta de classes: potencialidades revolucionárias do marxismo feminista e queer. Na parte da tarde, a par dos workshops de linguagem inclusiva, a cargo de Jo Rodrigues e da rede ex aequo, e de performatividade, com Carolina Serrão, há tempo para dois debates: um sobre as estátuas coloniais e o espaço público, com Elsa Peralta e Leonor Rosas, e outro sobre saúde mental e capitalismo, com Moisés Ferreira e Bruno Maia. A seguir ao jantar há festa feminista com muita música.

No sábado, dia 28, a coordenadora bloquista Mariana Mortágua estará no acampamento para apresentar a primeira sessão da manhã em torno do individualismo e felicidade tóxica no liberalismo. Segue-se uma sessão sobre os conceitos da história da esquerda, como a social-democracia, o socialismo e o comunismo, por Jorge Costa e Bruno Góis. Na parte da tarde, as lutas da juventude estão em destaque, como uma sessão sobre estratégias climáticas com Andreia Galvão e Miguel Martins e outra sobre as lutas do movimento estudantil com Sara Azul e Rodrigo Sousa. Há ainda espaço para um workshop de stencils por Ricardo Lafuente e para mais um debate, desta vez sobre imperialismo e autodeterminação, com Pedro Filipe Soares e Daniel Pinéu. O acampamento termina com uma festa anti-imperialista ao som de reggaeton, funk, rumba e música de intervenção.

No domingo, dia 30, nos debates matinais Fernando Rosas e Tomas Marques vão falar dos 50 anos do 25 de Abril e Alexandre Abreu e José Gusmão da resposta à inflação. À tarde, a arte e a política dão o mote ao debate apresentado por Leonor Buescu e Amarílis Felizes, seguido da sessão “Educar para o conformismo ou educar para a rebeldia”, com José Soeiro e Anabela Rodrigues. A programação política encerra com o plenário final ao fim da tarde e a despedida faz-se na Festa LGBTQI+: “Fora do Armário, para a Dancefloor” até de madrugada. Os autocarros farão o regresso dos campistas na segunda-feira a partir das 11h.

Termos relacionados: Política