Está aqui

Esquerda.net publicou 25 testemunhos sobre “Confinamento(s) em tempo de ditadura”

Vinte e cinco dias e vinte e cinco testemunhos de resistentes antifascistas sobre o seu quotidiano na prisão e/ou na clandestinidade e as estratégias que encontraram para combater o isolamento. A publicação diária terminou esta sexta-feira, mas ainda serão publicados novos contributos.
A publicação diária dos testemunhos recolhidos no âmbito do projeto “Confinamento(s) em tempo de ditadura”, da autoria de Mariana Carneiro, terminou esta sexta-feira.

Entre 28 de abril e 22 de maio, foram publicados os testemunhos de Alfredo Caldeira, Graça Marques Pinto (Magaça), Mário de Carvalho, Sara Amâncio, Domingos Lopes, Aurora Rodrigues, José Castro, Isabel do Carmo, Carlos Brito, Diana Andringa, Ramiro Raimundo, Margarida Tengarrinha, Alfredo Frade, Helena Neves, Raimundo Narciso, Maria da Conceição Moita, Adolfo Maria, Maria Machado, Alberto Matos, Ana Rosenheim, António Cândido Franco, Helena Pato, Justino Pinto de Andrade, Ramiro Morgado e Jaime Pinho.


Ver todos os testemunhos aqui: Confinamento(s) em tempo de ditadura


Todos estes contributos dão-nos a conhecer o confinamento, o isolamento, a privação de liberdade(s) a que foram sujeitos elementos do movimento estudantil e de organizações políticas como o Partido Comunista Português (PCP), Ação Revolucionária Armada (A.R.A.), Liga de Unidade e Ação Revolucionária (LUAR), Brigadas Revolucionárias (BR), Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP), Partido Comunista de Portugal (PCP-ML marxista-leninista), Grupos de Ação Comunista (que estiveram na fundação da Liga Comunista Internacionalista-LCI), e Organização Comunista Marxista-Leninista Portuguesa (OCMLP).

Através dos testemunhos destes 25 resistentes antifascistas somos levados numa viagem pelas casas clandestinas, os curros do Aljube, com 2 metros por 1,5 metros, o edifício da PIDE/DGS do Porto e norte do país, na Rua do Heroísmo, no Porto, a sede da PIDE/DGS em Lisboa, na Rua António Maria Cardoso, a Cadeia do Forte de Peniche, o reduto norte e o reduto sul da prisão de Caxias, a Penitenciária de Lisboa, a Cadeia de São Paulo, em Luanda, Angola, e o Tarrafal, na ilha de Santiago, em Cabo Verde.

A publicação diária dos testemunhos recolhidos no âmbito do projeto “Confinamento(s) em tempo de ditadura”, da autoria de Mariana Carneiro, terminou esta sexta-feira. Ainda assim, está prevista a publicação de novos contributos nas próximas semanas.

(...)