Está aqui

Centenas de técnicos em falta no INEM

O INEM considera que são necessários mais 365 técnicos de emergência hospitalar enquanto o Sindicato aponta para 500. Falta de atratividade da profissão e baixos salários dificultam interesse pela profissão, defende o sindicato.
Centenas de técnicos em falta no INEM. Fotografia: STEPH

Os números divergem entre o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e o Sindicato dos Técnicos de Emergência Pré-Hospitalar mas ambos concordam que faltam centenas de técnicos de emergência pré-hospitalar (TEPH) no INEM. De acordo com o INEM, faltam 365 TEPH enquanto o sindicato considera estarem em falta 500 profissionais. 

Em declarações ao jornal Público, a administração do INEM referiu que se assiste a uma redução no número de candidatos aos concursos para recrutamento de TEPH, sendo que no último concurso efetuado apenas foram preenchidas 49 das 178 vagas.  

Por seu turno, Rui Lázaro, presidente do Sindicato dos Técnicos de Emergência Pré-Hospitalar refere que o plano estratégico do INEM previa 1400 TEPH. Existem pouco mais de 900, daí que considere estarem em falta 500 profissionais. 

O sindicalista considera que esta é uma carreira cada vez menos atrativa e com um salário bastante baixo: o vencimento base é de 750 euros com um subsídio de turno de 187 euros. 

Rui Lázaro refere ainda que a falta de TEPH tem levado à indisponibilidade de ambulâncias. Em declarações ao Público, referiu que, em junho, várias ambulâncias de Coimbra, Lisboa e Algarve não puderem funcionar porque cerca de metade dos turnos não estavam preenchidos, por falta de TEPH. 

 

Recorde-se que, no dia 18 de julho, uma mulher de 83 anos caiu em Campolide, em Lisboa. Aguardou cerca de uma hora por uma ambulância. Faleceu no hospital. O INEM, que entretanto abriu um inquérito ao sucedido, afirmou não ter ambulâncias disponíveis, tendo contactado 29 entidades que se encontravam também sem possibilidade de resposta.

Entretanto hoje, em Faro, um homem com cerca de 70 anos teve várias crises convusivas na via pública e aguardou cerca de uma hora por uma ambulância. 

O que é o INEM?

O INEM é o organismo do Ministério da Saúde responsável por coordenar o funcionamento, no território de Portugal Continental, do Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM). 

As principais tarefas do INEM visam a prestação de cuidados de emergência médica no local da ocorrência, o transporte assistido das vítimas para o hospital adequado e a articulação entre os vários intervenientes do SIEM. 

O INEM dispõe de quatro centros de orientação de doentes urgentes (CODU), em Lisboa, Porto, Coimbra e Faro. Os pedidos de socorro efetuados através do 112 que digam respeito a situações de urgência ou emergência médica são transferidos para os CODU.

De acordo com os dados mais recentes, relativos a 2021, o INEM tem um total de 671 meios de emergência pré-hospitalar, entre os quais se incluem quatro helicópteros, 44 viaturas médicas de emergência e reanimação (VMER), quatro ambulâncias de transporte inter-hospitalar pediátrico (TIP), 43 ambulâncias de suporte imediato de vida (SIV), 56 ambulâncias de emergência médica, nove motociclos de emergência médica e quatro unidades móveis de intervenção psicológica de emergência. Encontram-se 372 ambulâncias de socorro em Postos de Emergência Médica e 118 em postos de reserva. Existem ainda 17 ambulâncias em postos não INEM.

Termos relacionados Sociedade
(...)