Está aqui

Catarina lembra promessa esquecida do metro do Mondego

Numa visita a feira de Miranda do Corvo, Catarina Martins falou do isolamento da região “que perdeu o comboio e nunca teve o metro” prometido, e apelou aos pais e avós de emigrantes para que pensem neles no momento do voto.
Foto Paulete Matos.

Na semana em que começa o período de votação dos emigrantes, Catarina Martins lembrou que "há 485 mil pessoas que emigraram nestes quatro anos e que a maior parte delas não vai conseguir exercer o seu direito de voto, não vai conseguir defender-se nestas eleições”, devido aos entraves colocados ao recenseamento e ao mau funcionamento dos consulados.

Esse afastamento forçado da decisão sobre o futuro do país serviu de mote para Catarina Martins apelar ao voto dos que cá ficaram: ”Deixamos o apelo a quem cá está, aos pais e aos avós que veem os filhos e os netos obrigados a partir, que no momento do voto pensem neles, em quem não pode estar cá no dia 4 de outubro para votar. Pensem em quem cá não tem emprego e em quem não tem um salário digno, em quem quer viver neste país e em quem quer construir um futuro cá”.

Numa visita animada e com bom acolhimento na feira de Miranda do Corvo, onde esteve acompanhada pelo candidato José Manuel Pureza, a porta-voz do Bloco sublinhou que de trata de uma "zona martirizada pelo desemprego, falta de acessibilidades e falta de serviços públicos”. E no que respeita aos transportes, não esqueceu a população enganada pelas promessas da vinda do Metro após a retirada dos comboios que a ligavam a Coimbra em 2009.

"As pessoas acreditaram que iam ficar melhor e depois perderam o comboio, nunca tiveram um metro. Houve certamente conselhos de administração a ganhar muito dinheiro ao longo deste tempo, mas quem vive em Miranda do Corvo ficou cada vez pior e este é o retrato das muitas promessas que têm sido feitas no país e que têm sido quebradas”, resumiu Catarina, respondendo a quem a cumprimentava "a falta que José Manuel Pureza faz na Assembleia da República" para lutar por uma solução que respeite as pessoas.

Termos relacionados legislativas 2015, Política
(...)