Israel

Pela primeira vez na sua história, o Tribunal Penal Internacional pediu ordem de prisão para líderes de um país apoiado pelas potências ocidentais. 
 

No dia 14 de Maio o estado de Israel comemora a sua criação; no dia 15 de Maio comemoramos solenemente o Dia da Naqba, a catástrofe que seguiu diretamente do estabelecimento do Estado de Israel e que viabilizou esse estado através de uma expulsão massiva da população palestiniana árabe.

Alan Stoleroff - Judeus pela Paz e Justiça

Human Rights Watch diz que os ataques desde outubro mataram ou feriram pelo menos 31 membros de organizações de ajuda. Esta segunda-feira mais um funcionário da ONU foi morto quando ia a caminho do hospital em Rafah. No final de abril a ONU contabilizava 251 mortes entre trabalhadores humanitários.

Milhares de israelitas manifestaram-se a favor do cessar-fogo. O exército sionista tomou entretanto a passagem de Rafah fazendo temer pela chegada de abastecimentos. Guterres reitera que uma invasão terrestre seria um “desastre humanitário”.

O drone submarino BlueWhale é fabricado pela Israel Aerospace Industries e Thyssen Krupp. O MPPM considera que negócios com “empresas que suportam o ataque genocida contra os palestinos da Faixa de Gaza” é “apoio indireto à prática de um crime contra a humanidade”.

O registo de navios no offshore da Madeira disparou nos últimos dez anos, ultrapassando hoje os 900. A venda de Portugal como “bandeira de conveniência” associa o país a negócios que ninguém escrutina. É o caso do bilionário israelita cujo cargueiro foi apresado pelo Irão, colocando o Estado português no centro de uma crise diplomática.

28 trabalhadores que protestaram contra o contrato entre o gigante digital e o Estado sionista para providenciar serviços “na nuvem” da empresa foram despedidos. O contrato “Nimbus” envolve ainda a Amazon.

Em entrevista ao L’Humanité, Gilbert Achcar analisa as intenções de Israel ao atacar o consulado do Irão em Damasco, a forma da retaliação iraniana e as suas consequências.

O facto de um número crescente de judeus já não aceitar a mitologia do sionismo e apoiar o direito dos palestinianos à autodeterminação está a levar os sionistas a ataques de frenesim apoplético. Por Peter Hudis.

Toda a população da Faixa de Gaza, de 2,23 milhões de pessoas, enfrenta níveis elevados de insegurança alimentar aguda e metade da população já está numa situação de “fome catastrófica”. Guterres exige a Israel e à comunidade internacional que previnam o "impensável, inaceitável e injustificável".

Numa carta aberta à RTP, 210 artistas apelam ao boicote ao festival caso Israel participe no evento. Entre eles estão o músico Sérgio Godinho, o radialista Nuno Calado e Cristina Clara, finalista da edição portuguesa do festival.

O momento que se vive na Palestina é terrível e sem precedentes. No discurso utilizado por Israel, na intensidade e propósito das políticas de eliminação. Mas devemos compreender que os projetos coloniais de colonatos que se desintegram estão sempre a usar os piores meios para tentar salvar o seu projeto. Por Ilan Pappe.

Amnistia Internacional e Human Rights Watch acusam o governo de Israel de não cumprir as decisões vinculativas daquela instituição, colocando ainda mais em perigo os palestinianos. ONU foi obrigada a reduzir a metade ajuda humanitária e António Guterres diz que ataque a Rafah seria “o último prego no caixão” da assistência.

Votação no Conselho de Segurança da ONU resultou em 13 votos a favor e um contra, com a abstenção do Reino Unido. EUA também instaram Tribunal Internacional de Justiça a não ordenar cessar fogo. Entretanto, mortandade em Gaza agrava-se e Programa Alimentar Mundial teve de suspender apoio.

Pedro Sánchez e Leo Varadkar escreveram a Ursula von der Leyen a pedir que a Comissão Europeia reveja os seus acordos comerciais com Israel face às violações do direito humanitário por parte deste país em Gaza.

Josep Borrell frisa que ação de Israel é desproporcionada e que número de mortes é insuportável. Chefe da diplomacia europeia enfatiza ainda que agência da ONU tem de ter condições para atuar no terreno. Ataque israelita a Rafah faz cerca de cem mortos.

Mais de 200 personalidades de várias áreas apelam a que todos os partidos democráticos candidatos às eleições legislativas se comprometam, durante a campanha, com o reconhecimento do Estado da Palestina.

Manifestação Nacional Palestina Livre decorre este sábado, 10 de fevereiro, nas cidades de Lisboa, Braga e Faro, às 15h, e em Angra do Heroísmo, às 11h, pelo fim genocídio do povo palestiniano, um cessar-fogo permanente e para que se abra caminho à criação de um Estado livre e independente.

Os ativistas contestam o patrocínio da universidade a um "evento de propaganda israelita". Principal orador insinuou na televisão que António Guterres espera que o Qatar lhe financie uma ONG quando sair das Nações Unidas.

Enquanto o mundo tem os olhos postos em Gaza, as forças israelitas continuam a matar na Cisjordânia. Amnistia Internacional contou mais de 500 assassinatos em 2023 e este ano mais 61 até 29 de janeiro.