You are here

Bloco denuncia mau estado da EN16 e EN225

Isabel Pires visitou estas vias rodoviárias dos distritos de Guarda e Viseu para alertar para a sua perigosidade e urgente requalificação. Notícia publicada no Interior do Avesso. 
Isabel Pires junto ao Presidente da Câmara de Castro Daire na EN225 - Foto de Bloco de Esquerda Distrito de Viseu | Facebook

No dia 18 de janeiro a candidatura do Bloco de Esquerda ao círculo eleitoral da Guarda deslocou-se à N16 entre Fornos de Algodres e Celorico da Beira, acompanhada da deputada Isabel Pires.

Em nota de imprensa, a candidatura dá conta que com a visita se constatou que “a estrada se encontra bastante danificada, não sendo por isso segura para quem a utiliza”.

O Bloco de Esquerda propõe que exista um plano de requalificação para toda a Estrada Nacional 16, em cooperação com os municípios envolvidos, tendo em conta a sua importância para as populações que a utilizam diariamente, não tendo qualquer alternativa viável que não seja portajada. “Há populações que precisam da N16 e esta tem que estar em condições para uma circulação segura”.

A candidatura defende o investimento na mobilidade, desenvolvendo boas acessibilidades e a coesão territorial. Considera assim ser necessário o investimento na requalificação das vias rodoviárias e no desenvolvimento de uma rede de transportes coletivos municipais e intermunicipais. “Consideramos que as boas acessibilidades são fundamentais para unir as pessoas e as localidades”, rematam.

Bloco insiste na requalificação urgente da EN225

A EN225 liga Castelo de Paiva, Arouca, Cinfães, Castro Daire e Vila Nova de Paiva. Apesar da sua importância para a população que reside nestes municípios e para o turismo na região, não recebe qualquer intervenção de fundo há anos, apesar da reivindicação das populações e autarquias.

A deputada Isabel Pires, autora do Projeto de Resolução N.º 72/XIV que propõe a requalificação urgente da EN225, entregue e aprovado por unanimidade no Parlamento em 2020, regressou a Castro Daire, uma vez que nesta estrada, apesar da aprovação do Projeto de Resolução, tudo permanece na mesma por o Governo ainda não ter disponibilizado as verbas para o início da obra.

Além da deputada e da candidatura de Viseu do Bloco de Esquerda, a visita contou com a presença do executivo municipal e da corporação de Bombeiros Voluntários, que informaram qual o ponto de situação, as dificuldades, os perigos e os desafios provocados pelo estado de conservação da estrada.

“O perigo é iminente e teme-se o pior numa via que se encontra num estado deplorável, onde a qualquer altura pode haver um desabamento de terras, capaz de arrastar carros e até os transportes escolares, como já aconteceu na Estrada Nacional 2, também no concelho de Castro Daire, com um deslizamento de terras que arrastou uma máquina pesada de trabalho e um trabalhador do município, que assim ficou sem vida”, sublinha o Bloco em comunicado.

Outros problemas da via, enumera o partido, “prendem-se com problemas estruturais, num percurso acidentado e perigoso, que se encontra em estado de elevado nível de degradação. Além de buracos, alguns de grandes dimensões, é de notar a degradação da sinalização horizontal, os abatimentos no piso, a insuficiente proteção lateral e inexistência de guardas de segurança para os motociclistas nos rails colocados, supressões constantes da estrada e ameaças de aluimento de muros de suporte”.

O Bloco de Esquerda garante que não deixará cair esta reivindicação, mantendo-se ao lado da população até que as verbas sejam desbloqueadas.


Notícias originais publicadas no Interior do Avesso - EN16 e EN225

 

Termos relacionados Política
(...)