Está aqui

Violência doméstica causou 19 mortes até setembro

Nos primeiros nove meses do ano, foram assassinadas em Portugal 14 mulheres e cinco homens em contexto de violência doméstica. Rede de apoio acolheu duas mil pessoas no mesmo período.
Mural contra a violência doméstica.
Mural contra a violência doméstica. Foto Esquerda.net

A Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade disse à agência Lusa que até ao fim de setembro deste ano morreram assassinadas 14 mulheres e cinco homens com origem em situações de violência doméstica. Em comparação com o mesmo período do ano anterior, regista-se menos uma morte.

“São números brutais. São números que têm de nos continuar a inquietar”, sublinhou Rosa Monteiro, juntando-lhes as mais de 31 mil pessoas a serem atendidas pelas estruturas de apoio e outras duas mil a serem acolhidas na Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica.

Segundo dados oficiais citados pela Lusa, até ao fim de setembro havia 1.140 pessoas presas pelo crime de violência doméstica, das quais 905 a cumprir pena de prisão efetiva e outras 235 em situação de prisão preventiva. Em relação a setembro de 2020 registou-se um grande aumento, de 28 para 191, do número de detidos a frequentarem programas para agressores em meio prisional. Estes programas tiveram a participação de 2.595 agressores no total.

Em declarações à margem do primeiro Fórum Portugal Contra a Violência, Rosa Monteiro destacou ainda um aumento de 10% nas medidas de coação de afastamento do  agressor em relação à vítima. Estes resultados, na opinião da governante, ficam a dever-se “não só do alarme público que tem sido criado e tem ajudado a pressionar os agentes de justiça e as forças de segurança a terem uma atuação mais afetiva nas 72 horas após denúncia, mas também do manual que foi criado para atuação nas 72 horas após denúncia”.

Quanto ao número de atendimentos da Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica, tem vindo a crescer nos últimos anos e mais do que triplicou no primeiro ano da pandemia, ao contrário do número de acolhimentos, que caiu de 3.630 em 2019 para 2.098 em 2020. Entre janeiro e setembro deste ano foram registados 2.057 acolhimentos através desta rede.

O Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres assinala-se a 25 de novembro e estão previstas várias mobilizações de rua, como a manifestação em Lisboa, convocada por várias organizações feministas e pela igualdade, que partirá às 17h30 do Largo do Intendente em direção ao Rossio.

Termos relacionados Sociedade
(...)