Está aqui

Turquia: Erdoğan perde Ankara e pode perder Istambul

As eleições locais na Turquia deram ao presidente Erdoğan uma derrota pouco habitual. Com os resultados oficiais ainda por fechar, a perda de Ankara é certa e a perda de Istambul provável para o seu partido.
Centro de Istambul visto da torre Galata, 2018. Foto de Pablo Gonzalez/Flickr.
Centro de Istambul visto da torre Galata, 2018. Foto de Pablo Gonzalez/Flickr.

As eleições locais na Turquia, realizadas este fim de semana, desferiram um golpe no domínio de Recep Tayyip Erdoğan sobre a política do país, num resultado que está a ser lido como uma derrota séria e a primeira expressão nas urnas da crise económica que afligiu o país no verão passado, quando a lira turca teve uma forte desvalorização e a inflação disparou.

85% dos 57 milhões de eleitores registados foram às urnas para eleger cerca de 30 presidentes das áreas metropolitanas, 1350 presidentes de câmara, 1250 representantes regionais e mais de 20 mil representantes municipais. O partido Justiça e Desenvolvimento (AKP), de Erdoğan, concorreu em vários círculos coligado com o Partido do Movimento Nacionalista (MHP), de extrema-direita nacionalista e eurocética. Do outro lado, o Partido Republicano do Povo (CHP), de centro-esquerda, que reclama o legado laico de Atatürk e dominou durante décadas a política do país, concorreu coligado em alguns círculos com o partido İYİ, também laico mas do centro-direita liberal e conservador. À esquerda, o Partido Democrático dos Povos (HDP) apostou em crescer e recuperar as zonas onde tradicionalmente tem força, nomeadamente no sudeste do país de maioria curda; em algumas zonas onde tem pouca influência optou mesmo por não concorrer para não fragmentar o voto anti-Erdoğan.

Os resultados oficiais ainda não estão fechados. Segundo a agência Reuters, o AKP sozinho ou em coligação obteve 51,7% dos votos mas poderá ficar sem as duas maiores cidades do país: perdeu a capital Ankara, e poderá ainda perder Istambul para um ressurgido CHP. O CHP manteve Izmir, terceira cidade do país, e terá ganho outras sete regiões e municípios ao AKP, entre elas Antalya, conhecida região turística na costa mediterrânica. Em contraponto, até ao momento perdeu apenas dois postos para o AKP.

Partidos vencedores nas capitais provinciais, 2019. Mapa de Nub Cake/Wikipedia.Partidos vencedores nas capitais provinciais, 2019. Mapa de Nub Cake/Wikipedia.

A perda de Ankara é já certa e representa um grande revés para Erdoğan: a capital turca era um bastião de grande valor simbólico para o AKP, que a dominou por mais de duas décadas. Segundo os números mais recentes, o candidato do CHP Mansur Yavas conquistou uma vitória clara com 50,9% dos votos, contra 47,1% do candidato do AKP — mas o AKP declarou que ia pedir recontagem em várias freguesias da cidade e contava ainda com a vitória.

Em Istambul, maior cidade do país, os nervos estavam em franja: com uma corrida muito disputada, pouco antes da meia-noite de domingo, a comissão eleitoral deixou de disponibilizar dados, quando restavam pouco mais de 1% das urnas para contabilizar. Ekrem İmamoğlu, candidato de uma coligação da oposição liderada pelo CHP estava então com uma vantagem mínima sobre o candidato do AKP, o antigo primeiro-ministro Binali Yıldırım — 4 mil votos segundo o site MediaPart, 25 mil votos segundo outras fontes, em todo o caso uma vantagem mínima numa cidade de 15 milhões, com ambos os candidatos separados por décimas. O AKP afirmou igualmente que teria havido irregularidades e que iria pedir recontagem de votos, reclamando a vitória.

O HDP recuperou grande parte dos lugares na sua região de influência tradicional, a zona curda no sudeste do país, de que tinha sido expulso aquando do golpe falhado contra Erdoğan em 2016. Na altura, Erdoğan saneou em resposta muitos membros da administração pública, incluindo os autarcas do HDP em 94 localidades, que acusou de terem ligações ao ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), substituindo-os por representantes nomeados pelo governo. Com as eleições, o HDP recuperou as três cidades com dimensão metropolitana no sudeste, Diyarbakir (63% dos votos contra 31% do AKP), Van (52,9% para 41,4%) e Mardin (55,9% para 38,7%), e outras 5 cidades mais pequenas, bem como 45 círculos equivalentes a freguesia. Perdeu três cidades para o AKP. Um lugar que não recuperou foi Tunceli, mas não por uma viragem à direita: a região terá dado por curta margem preferência ao candidato do Partido Comunista da Turquia (TKP), o que a confirmar-se representaria o primeiro governador regional comunista no país.

Termos relacionados Internacional
(...)