Está aqui

Teatro D. Maria II suspende programação para 2012

O Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, anunciou nesta quarta feira a suspensão da programação para 2012, devido aos cortes previstos no Orçamento de Estado, na ordem dos 36%, agravados pelo aumento do IVA para 23%.
O diretor artístico do teatro, Diogo Infante, salienta que o teatro tentou “sensibilizar a tutela para as inevitáveis consequências” dos cortes impostos pelo Governo, mas que “até à data o secretário de Estado da Cultura revelou-se impotente” - Foto da wikipedia

Em comunicado, o diretor artístico, Diogo Infante, salienta que o teatro tentou “sensibilizar a tutela para as inevitáveis consequências” dos cortes impostos pelo Governo, mas que “até à data o secretário de Estado da Cultura revelou-se impotente para, junto do Ministério das Finanças ou do primeiro-ministro, encontrar uma solução que corresponda a uma vontade política de manter em atividade o primeiro teatro do país”.

Segundo a agência Lusa, Diogo Infante afirma, no comunicado, que “as medidas de austeridade anunciadas pelo Governo e os cortes previstos no recentemente aprovado Orçamento do Estado atingiram no caso do Teatro Nacional D. Maria II (TNDM II) um valor acumulado em 2012 na ordem dos 36%, agravado pelo aumento da taxa do IVA (23%)”.

O diretor artístico do teatro refere que houve um “corte financeiro, muito superior ao efetuado nos restantes Teatros Nacionais” e sublinha: “Parece-nos conter um erro de cálculo e ignora três anos de gestão equilibrada e taxas de ocupação recorrentes acima dos 90%, comprometendo de forma irremediável o atual projeto artístico do TNDM II, o seu modelo de gestão e toda a programação projetada para 2012”.

Segundo a agência, da programação do teatro para 2012 fazem parte peças como "A Morte de Danton", em coprodução com os Artistas Unidos e Guimarães - Capital Europeia da Cultura 2012, e "Lear", com Eunice Muñoz como protagonista.

De acordo com a nova lei orgânica da Secretaria de Estado da Cultura (SEC), o TNDMII passará a integrar um novo organismo, o Agrupamento Complementar de Empresas (ACE), que inclui também os Teatros Nacionais São Carlos (Lisboa) e de São João (Porto), a Companhia Nacional de Bailado e a Cinemateca Portuguesa Museu do Cinema.

Em julho passado, Diogo Infante tinha avisado o secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, que o teatro estava no “limite”.

O TNDMII tem recebido 4,6 milhões de euros (mais IVA) de indemnização compensatória do Estado, um valor que se mantém igual desde 2005.

Termos relacionados Sociedade
(...)