Está aqui

Suécia deixa cair acusação a Assange por falta de provas

A procuradora sueca Eva-Marie Persson anunciou a decisão de pôr termo à investigação que acusava o fundador da Wikileaks de violação. Assange continua preso em Londres e sempre negou as acusações de que era alvo.
Foto Duncan c/Flickr

A acusação a Julian Assange por uma alegada violação não resistiu a revisão das provas no processo que a justiça sueca investiga desde 2012. O anúncio foi feito esta terça-feira pela procuradora sueca Eva-Marie Persson e surge poucos meses depois de um tribunal sueco ter decidido não pedir a extradição do fundador do Wikileaks para aquele pais.

Foi este caso que levou Assange a procurar asilo na embaixada do Equador, receando de ser alvo de uma manobra judicial com a finalidade de o extraditar para os Estados Unidos. Assange sempre negou as acusações de que era alvo na Suécia.

O fundador do Wikileaks continua preso em Inglaterra e apareceu numa audiência em tribunal visivelmente combalido e dando mostras de não se aperceber do que se estava a passar à sua volta. Isso deu origem a críticas sobre as condições da sua prisão em isolamento durante sete meses, após ter sido detido em abril a pedido do governo do Equador ao fim de sete anos fechado no edifício da sua embaixada em Londres.

Apesar de já não ter de responder pela acusação na Suécia, Assange luta agora na justiça para não ser extraditado para os Estados Unidos, país que o quer punir pela divulgação de documentos e comunicações entre embaixadas que serviram para comprovar casos de corrupção, crimes de guerra e outros episódios dos bastidores da diplomacia norte-americana no mundo. 

Termos relacionados Internacional
(...)