Está aqui

Serviços Sociais da Universidade do Minho: trabalhadores da limpeza com salários em atraso

O STAD diz que “todos os meses as trabalhadoras estão com o coração nas mãos, sem saber se vão ter dinheiro para poder pagar” as suas contas. Os trabalhadores entrarão em greve nos próximos dias 3 e 4 de outubro.
Limpeza. Foto do STAD.
Limpeza. Foto do STAD.

O STAD denuncia que os trabalhadores das empresa de limpeza Vez Limpa que exercem funções nos Serviços Sociais da Universidade do Minho têm salários em atraso. Por essa razão, convocaram o greve para os próximos dias 3 e 4 de outubro.

A estrutura sindical acusa esta empresa de não pagar salários atempadamente em conformidade com a lei. Reuniu já com a Administração dos Serviços Sociais da Universidade do Minho, depois de o STAD para exigir que a legalidade seja cumprida e fez várias denúncias à ACT mas, ainda assim, a empresa continua a infringir a lei.

A direção do Sindicato dos Trabalhadores de Serviços de Portaria, Vigilância, Limpeza, Domésticas e Atividades Diversas sublinha que “todos os meses as trabalhadoras estão com o coração nas mãos, sem saber se vão ter dinheiro para poder pagar a água, e a luz, a renda ou a prestação da casa,
ou mesmo as compras de mercearia”. Uma situação que “não é aceitável” e que acresce às “dificuldades causadas pela inflação e os baixos salários”.

Os trabalhadores pensam ainda que os Serviços Sociais da Universidade do Minho “não podem desresponsabilizar-se pelo que se passa dentro das suas instalações, não pode saber que existem trabalhadores dentro da sua casa a serem explorados”, tendo “uma palavra a dizer”.

Termos relacionados Sociedade
(...)