Professores apelam a participação na manifestação Casa para Viver

21 de setembro 2023 - 13:09

Duzentos professores e educadores subscreveram, até ao momento, apelo lançado pelo grupo Unidos Somos Imparáveis à participação nas manifestações de 30 de setembro pelo direito à Habitação, que ocorrerão em diversas cidades do país.

PARTILHAR

No apelo, aberto a subscrição, o grupo de professores e educadores Unidos Somos Imparáveis assinalam a “degradação da Escola Pública”, com oitenta mil alunos sem docente a, pelo menos, uma disciplina.

“Há vários anos que é assim, sobretudo nos distritos de Lisboa, Setúbal e Faro, mas o problema continua a agravar-se na ausência de respostas consistentes do governo”, escrevem os profissionais de Educação.

Muitos destes professores e educadores “já correram o país de casa às costas, pagando a dobrar”: a sua casa e o alojamento na localidade onde foram colocados a lecionar.

Mas, conforme destacam, “esse esforço tornou-se impossível”, perante o aumento desmesurado das prestações bancárias e das rendas.

O movimento Unidos Somos Imparáveis afirma que, “em várias cidades, desapareceram os quartos para arrendar” e que “a especulação imobiliária reflete-se nas escolas”.

“Com a carreira e os salários atuais, o que propõem aos professores deslocados é que paguem para trabalhar. Os jovens, recusando uma vida penosa, sempre a partilhar casa longe da família, acabam por afastar-se de uma profissão que precisa deles. Muitos colegas, sem alojamento que possam pagar, abandonam a profissão. Quem substituirá os 3500 professores que vão reformar-se até ao final do ano?”, questionam os profissionais.

Perante as “promessas e anúncios vazios” do Governo, exigem “medidas urgentes de resposta à crise na habitação e nas escolas”, que passam por um plano de redução das distâncias de deslocação de professores e um programa de emergência para o alojamento de docentes. Bem como por uma rápida adaptação de edifícios públicos e conversão de fogos devolutos em habitação pública e a compensação adequada aos docentes deslocados pelas despesas acrescidas em transporte e alojamento.

No documento, professores e profissionais da educação em defesa da Escola Pública afetada pela crise na habitação deixam um apelo à participação nas manifestações Casa para Viver no dia 30 de setembro em diversas cidades.

A missiva é subscrita pelos seguintes profissionais da Educação:

Açores: Helena Franco Carreiro, Fernando Melo, Rui Soares Alcântara, Teófilo Braga. Aveiro: Paula Santos, Teresa Moreira, Bruno Santos, Carla Marques, Gonçalo Gonçalves, José Carlos Lopes, Manuel Neves da Silva, Marlene Martins, Alexandra Brandão Freire, Bruno Batista. Beja: Alexandra Carvalho Gomes, Zélia Meister, Gina Mateus. Braga: Alexandra Vieira, Alexandre Mano, Alice Leite, Anabela Ramos, Anabela Sequeira, Anselmo Pereira Freitas, António Cruz Mendes, António José Freitas, Custódio Braga, Isabel Cristóvam, José Carlos Costa Santos, José Maria Cardoso, José Moreira de Oliveira, Manuela Cândida Gonçalves, Olga de Aquino da Costa, Paulo Fernandes, Pedro Freitas Afonso, Renato Marinho Silva, Ricardo Cerqueira, Sónia Cerqueira, Tania Costa, Vasco Moura, Alexandra Salgado, Alexandra Ribeiro, João Castro, Judite Pereira, Luís Cristóvam Dias, Mafalda Guimarães. Bragança: Georgina Torres. Castelo Branco: Cristina Guedes, Vera Veiga. Coimbra: João Moreira, João Santo, Maria Alice Alves, Pedro Jorge, Sandra Cardoso, Ana Cristina Simões, António José André, Luís Neto, Nuno Carqueijeiro, Aurora Figueiredo. Évora: Ana Gonçalves. Faro: Ada Araújo, Ana Canteiro, Ana Coelho, Ana Paula Farinha, Ana Pereira, Anastasia Freskou, Andreia Cardoso Esteves, Carla Morais, Carlos Guerreiro Costa, David Eduardo Roque, João Vasconcelos, José Neves, Lívia Ferreira, Nelson Moutinho, Patrícia Quintino, Pedro Rodrigues, Rita Carvalho, Rogério Neto, Rui Medeiros, Sandra Costa, Susana Barão, Vanda Matias, Veronika Kristófcsák, Ana Cristina Lopes, Luís Costa, Marta Carvalho, Patrícia Lopes. Guarda: Madeira: Anabela Machado, Aida Caetano, Ana Maria Nunes, Odilia Soeiro. Leiria: Rui Pereira, Ana Maria Guerra. Lisboa: Albertina Pena, Alexandra Campas, Ana Cristina Sousa Freire, Ana Oliveira, Ana Paula Lourenço, António Freitas, Armando Mesquita, Belandina Vaz, Berta Maria Bessone Ferreira Alves, Carla Lopes, Cátia Domingues, Cristina Costa, Cristina Nunes, Francisco Louçã, Helena Amaral, Isabel Preto, Jorge Humberto Nogueira, Jorge Manuel da Rocha, Lúcia Cunha, Lucília Moreira, Luísa Correia da Silva, Manuel Grilo, Margarida Carvalho, Maria de Fátima Francisco, Deolinda Martin, Maria Tomé, Mariana Guitas, Natália Rocha, Paulo Oliveira, Pedro Fernandes, Pedro Viegas, Raquel Rodrigues, Raul Rasga, Rita Gorgulho, Sandrina Espiridião, Saul Falcão, Sofia Araújo, Susana Pereira, Tiago Castelhano. Porto: Alice Carracena, Ana Dias Garcia, Carla Celeste Sousa, Carmo Marques, Cristovão Andrade, Eliana Pinto, Elisa Torres, Fátima Silva, Jónatas Pereira, Manuela Menezes, Maria Rosário Silva, Nuno Freitas, Susana Carvalho, Susana Faria, Maria do Rosário Matias Silva, Maria Helena Costa Silva, Susana Cunha, Teresa Franceschini, Tito Silva. Santarém: Ana Teresa Lorenzo, Lúcia Figueiredo, Maria Clara Martins, Pedro Silva Sena, Lia Ribeiro. Setúbal: Sandra Pinto, José Luís Damas Lopes, Nuno Borba, Selmira Oliveira, Almerinda Bento, Jaime Pinho, Margarida Mancinho da Silva. Viana do Castelo: Maria de Fátima Silva, Alexandra Costa, Alexandra Fonseca. Vila Real: Carlos Gomes, Cátia Borges, Alexandra Silva. Viana do Castelo: Catarina Castro Rodrigues, José Miguel Pais Mendes, Paula Pinto. Estrangeiro: Alexandra Domingues, Teresa Nóbrega Soares