Está aqui

Passe-família no Porto “tem de sair de uma vez da gaveta”

A demora na aplicação do desconto familiar nos transportes da Área Metropolitana do Porto levou a deputada bloquista Maria Manuel Rola a solicitar uma reunião com o presidente da AMP.
Maria Manuel Rola
Maria Manuel Rola. Foto Paula Nunes.

Enquanto os utentes dos transportes públicos da Área Metropolitana de Lisboa já têm acesso desde julho ao desconto que permite a uma família viajar nos transportes públicos da região por 80 euros mensais — ou 60 euros, no caso das viagens em apenas um concelho —, através do passe-família, a medida tarda em ser aplicada às famílias dos 17 municípios da Área Metropolitana do Porto (AMP).

A entidade presidida pelo socialista Eduardo Vítor Rodrigues começou por justificar o atraso com "constrangimentos técnicos" que não permitem acautelar situações de "fraude”, mas passados cinco meses as famílias da AMP ainda esperam que o passe-família deixe de ser apenas uma promessa.

Em declarações à agência Lusa, a deputada do Bloco de Esquerda Maria Manuel Rola considerou "essencial" que a medida saia "de uma vez da gaveta”. Depois de ter chamado Eduardo Vítor Rodrigues a dar explicações no parlamento em março, logo quando se soube que a AMP não iria lançar o passe-família ao mesmo tempo que a AML — um convite a que o presidente da AMP não acedeu —, o Bloco decidiu agora solicitar uma reunião com Eduardo Vítor Rodrigues “para perceber quais são os problemas que levam a esta tardia aplicação do Passe Família", disse Maria Manuel Rola esta segunda-feira, durante uma ação de contacto com a população a propósito deste atraso.

Para a deputada do Bloco, os “constrangimentos técnicos” que servem de justificação para o atraso podem ser ultrapassados se houver “vontade política” das áreas metropolitanas para isso. "De facto, na Área Metropolitana de Lisboa foi possível ultrapassar essas questões que estão a ser levantadas. O que nos parece é que, havendo vontade política e havendo iniciativa por parte das áreas metropolitanas que têm essa responsabilidade, é possível implementar o Passe Família. Nesse sentido, parece-nos que o atraso entre a Área Metropolitana do Porto e a de Lisboa não se justifica", afirmou Maria Manuel Rola.

Para além da questão do atraso do passe-família, o Bloco pretende discutir também com o presidente da AMP “a necessidade de maior investimento nas infraestruturas e também a dificuldade e a desigualdade que se encontra na aplicação nas áreas metropolitanas e nas comunidades intermunicipais”, acrescentou a deputada.

Termos relacionados Política
(...)