Está aqui

Novos passes: Bloco questiona atrasos na Área Metropolitana do Porto

O Bloco de Esquerda chamou ao parlamento o presidente da Área Metropolitana do Porto para dar explicações sobre a ausência de data prevista para a introdução do "passe-família" e o atraso na articulação com as comunidades intermunicipais vizinhas.
Ainda não há data para o lançamento do "passe família" que vai tornar mais acessível a mobilidade na Área Metropolitana do Porto

O passe único na Área Metropolitana do Porto (AMP) vai entrar em vigor a 1 de abril, tal como previsto no Orçamento do Estado. A partir dessa data, não haverá passes acima dos 40 euros na AMP e mais estudantes terão passes gratuitos.

Mas ao contrário do que se passa na Área Metropolitana de Lisboa, que já definiu o mês de julho para o arranque do passe família, abrangendo todos os membros do mesmo agregado familiar por 80 euros mensais, quem vive na AMP ainda não sabe quando a medida entrará em vigor.

“É inaceitável e incompreensível que a AMP continue sem prever uma data para a entrada em vigor do passe família”, considera o Bloco de Esquerda, ao requerer esta quarta-feira o presidente da Área Metropolitana do Porto, Eduardo Vítor Rodrigues, a esclarecer estes atrasos e indefinições na Comissão de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação. O Bloco questiona ainda que “a articulação pendular, nomeadamente nos movimentos pendulares entre Comunidades intermunicipais ou em áreas territoriais diferenciadas administrativamente servidas pela CP, estejam ainda por implementar”.

O Bloco de Esquerda defende o alargamento dos passes gratuitos em toda a área metropolitana do Porto até aos 18 anos (idade escolar obrigatória), a limitação a 20 euros dos passes sénior (+65) e a entrada em vigor do passe família até julho de 2019.   

No modelo que entra em vigor em abril, para além do passe válido para a AMP por 40 euros, o Andante Metropolitano, há também o passe Andante 3Z por 30 euros, válido para 3 zonas contíguas selecionadas pelo utente no momento da compra e que permite viajar nas 3 zonas em qualquer linha e operador integrado na rede intermodal Andante. Quem tinha até agora um passe válido para apenas duas zonas pode continuar a usá-lo pelos mesmos 30 euros, em vez dos atuais 31.15 euros, ou em alternativa acrescentar mais uma zona contígua gratuitamente.

Os descontos hoje em vigor continuam, sendo aplicados sobre os novos valores. Mais informações aqui.
 

Termos relacionados Política
(...)