Está aqui

Luanda Leaks vai a debate no Parlamento Europeu

O eurodeputado bloquista José Gusmão questionou a Comissão Europeia sobre as medidas a tomar face ao paraíso fiscal de Malta e outros envolvidos em casos de lavagem de dinheiro. Em Estrasburgo, o Luanda Leaks vai a debate na próxima semana.
Plenário do Parlamento Europeu
Plenário do Parlamento Europeu. Foto Parlamento Europeu CC-BY-4.0: © União Europeia 2019

Por proposta do GUE/NGL, apresentada pelo eurodeputado do Bloco de Esquerda José Gusmão, o Luanda Leaks será tema de debate no plenário do Parlamento Europeu na próxima quarta-feira em Estrasburgo, durante um debate com a Comissão Europeia.

“O Luanda Leaks demonstrou, mais uma vez, como a fragilidade da regulação europeia cria condições favoráveis à existência de operações de lavagem de dinheiro, com óbvios prejuízos para todos, e a função essencial que os offshores europeus têm hoje na lavagem de capitais internacionais e, consequentemente, no financiamento activo da criminalidade económica”, refere o comunicado do gabinete do Bloco no Parlamento Europeu.

Para José Gusmão, “é fundamental saber se as posições que as instituições europeias têm tomado sobre offshores, lavagens de dinheiro e evasão fiscal, são para valer ou se as instituições europeias vão continuar a fechar os olhos.”

Em pergunta dirigida à Comissão Europeia, o eurodeputado bloquista quer saber “que medidas está a Comissão a ponderar relativamente ao paraíso fiscal de Malta e outros envolvidos neste
e noutros casos”, mas também se irá continuar a contratar serviços de auditoria “às mesmas consultoras que têm como clientes a quase totalidade do mercado financeiro internacional, da qual deveria manter estrita independência”.

José Gusmão quer ainda saber se a Comissão von der Leyen vai promover a “investigação e responsabilização legal das empresas privadas europeias utilizadas no ciclo de branqueamento de capitais”, bem como que medidas está a preparar “em sede de responsabilidade legal coletiva, individual e solidária, em empresas nas áreas de consultoria jurídica e financeira e contabilidade”.

Termos relacionados Luanda Leaks, Política
(...)