Greve histórica no Parque Industrial da Autoeuropa

19 de novembro 2010 - 20:40

António Chora, da Comissão de Trabalhadores da Autoeuropa, espera “grande sucesso” da Greve Geral na Autoeuropa. O coordenador do Bloco em reunião com CT afirmou que este “é exemplo pela democracia dos trabalhadores e pela solidariedade”.

PARTILHAR
Francisco Louçã reúne com CT da Autoeuropa. António Chora espera “grande sucesso” da Greve Geral.

António Chora, da Comissão de Trabalhadores da Autoeuropa, está confiante no que respeita à mobilização dos trabalhadores para a Greve Geral de dia 24 de Novembro. O membro da CT considera que a Greve Geral será “um grande sucesso no parque” e lembra que esta “é uma luta política e não contra a administração da empresa”. No Parque Industrial da Autoeuropa, como no resto do país, a crise faz-se sentir. “Não existe trabalhador que não tenha um familiar desempregado”, afirmou António Chora.

Francisco Louçã reúne com CT

O coordenador do Bloco reuniu com a CT da Autoeuropa e defendeu que o país precisa de uma maioria que “são os trabalhadores”. Francisco Louçã acredita que esta será “uma grande greve” e que é necessário que “os trabalhadores tomem conta do país que é seu, que façam a voz da democracia nesta greve geral que é a única hipótese de termos uma ecónomia com decência e rigor, contra o desperdício que tem sido a gestão económica que nos tem levado a esta catástrofe”.

O líder do Bloco aponta os trabalhadores da Autoeuropa como um exemplo. "Todo o Parque Industrial da Autoeuropa é o mais importante do país e é exemplo pela democracia dos trabalhadores e pela solidariedade num momento difícil em que aumentam impostos, cortam abonos de família e existe uma vaga de despedimento no país”, salientou.

Francisco Louçã defendeu ainda que “A greve deve mostrar que o trabalho tem que ser o futuro do país”.

Termos relacionados: PolíticaGreve Geral 24 Nov