Está aqui

França: Dezenas de milhares de pessoas manifestaram-se em defesa do clima

Foram 163 manifestações em vários pontos do país que exigiam a Macron que faça o que prometeu: a realização de um referendo para consagrar a proteção climática na Constituição.
Marcha pelo Clima em França, 9 de maio de 2021 - Foto de Kafar33 Photographie | Facebook

Segundo o jornal Expresso, foram dezenas de milhares de pessoas que se manifestaram este domingo em França com o objetivo de exigir uma maior ambição ecológica quando se acredita que a promessa feita por Macron para realizar um referendo para consagrar a proteção climática na Constituição parece ter sido esquecida.

Foram 163 manifestações e 115 mil pessoas em vários pontos do país. Vanessa, artista plástica e membro da Surfrider, desfilou com um vestido feito de redes de pesca recolhidas na costa sudoeste de França e disse que “não estou aqui para salvar o planeta e três tartarugas, estou para salvar os humanos. O Governo deve ter coragem de impor a transição ecológica”.

Outro participante, Cyril Dionm, desfilou com uma faixa que dizia “Lei Climática=fracasso de cinco anos de legislatura” e sublinhou que “trata-se de continuar a denunciar a falta de ambição da lei do clima e, desde esta manhã, o quase certo abandono do referendo, o que constitui um passo atrás”.

Entretanto, a lei “clima e resiliência” promovida por Macron chegou à Assembleia Nacional na passada terça-feira. Esta lei tem o objetivo de traduzir parte das 149 propostas da Convenção dos Cidadãos sobre o Clima (CCC), criada em 2019 e que contou com um painel de 150 pessoas.

A principal meta da lei é reduzir em 40% as emissões de gases com efeito estufa, mas também conta a intenção do encerramento de voos domésticos quando existirem alternativas de comboio com durações de percurso inferiores a duas horas e meia e a tipificação do crime de ecocídio.

As organizações ambientais reconhecem “alguns progressos”, mas também denunciam a “confusão formidável” que criou um “projeto de lei” para “fingir agir”.

Macron comprometeu-se perante o CCC a enviar para os deputados uma alteração ao 1º artigo da Constituição, mas o Senado já se mostrou contra.

A Presidência francesa, questionada pela AFP, referiu que a alteração à Constituição não está “enterrada”, mas não confirmou a realização do referendo.

O projeto de lei consagra que a França “garante a preservação do ambiente e da diversidade biológica e a luta contra as alterações climáticas”, mas o Senado rejeita o termo “garante”.

 

Termos relacionados Internacional
(...)