Está aqui

Ex-SCUT: Portagens penalizam utentes, populações e empresas

Em nome da coesão territorial e de uma melhor mobilidade para todos, João Vasconcelos quer saber se este Governo vai eliminar as portagens no Algarve e no interior do país, impostas pelo executivo do PSD/CDS-PP.

O deputado afirmou que as anteriores vias sem custos para o utilizador, introduzidas há uns anos no país, “assentavam nos princípios da solidariedade, da defesa da coesão territorial, do combate às desigualdades e assimetrias, de promoção da melhoria das acessibilidades, de um desenvolvimento sustentável”.

Em 2011, o governo do PSD/CDS “desferiu uma machadada mortal nesses princípios ao impor portagens nas ex- SCUT”, lamentou João Vasconcelos, destacando que “quem mais sofreu e continua a sofrer são os utentes, as populações e as empresas dessas regiões, particularmente das regiões interiores do país e também do Algarve, sem vias alternativas, atravessadas pelas A23, A24, A25 e Via do Infante”.

O dirigente bloquista lembrou ainda que, em 2015, na altura da campanha para as legislativas de então, o primeiro-ministro, “reconhecendo, e bem, que a EN125 era um autêntico ‘cemitério’, prometeu levantar as portagens no Algarve e, também, nas regiões do interior”.

Tendo em conta que se passaram quatro anos e a palavra dada ao Algarve e ao país do interior não foi cumprida, João Vasconcelos perguntou se o Governo vai cumprir os seus compromissos e, “em nome da coesão territorial e de uma melhor mobilidade para todos”, vai eliminar as portagens no Algarve e no interior do país e requalificar a EN125 entre Olhão e Vila Real de Santo António.

(...)