Está aqui

DESOBEDOC de regresso ao Porto entre 22 e 25 de abril

O Desobedoc está de volta e regressa ao Cinema Trindade, no Porto, entre 22 e 25 de abril. O programa completo será apresentado no próximo dia 15 de abril, às 10h30, em conferência de imprensa com a equipa responsável e com Catarina Martins.
Desobedoc 2022 regressa ao Cinema Trindade, no Porto, entre 22 e 25 de abril
Desobedoc 2022 regressa ao Cinema Trindade, no Porto, entre 22 e 25 de abril

Nesta sua oitava edição - a sétima a ter lugar na cidade do Porto - o eixo de programação desenvolve-se à volta do “princípio do fim” do regime e o programa abordará as lutas antifascistas, a guerra-colonial e a luta anticolonial, com particular incidência em 1972, mas sem se limitar a esse ano sobre o qual passam agora cinco décadas. Outros temas relacionados com o 25 de abril ou com as lutas pela libertação estarão também presentes. Na programação, mais de duas dezenas de documentários nacionais e internacionais, além de uma seleção de curtas de animação.

O programa contará com uma sessão em torno de René Vautier, cineasta francês que realizou um dos primeiros filmes anticoloniais, em 1950, “Africa 50”, censurado em França, que será passado na mostra, acompanhado de “Salut et Fraternité”, documentário sobre o cinema comprometido de René Vautier que conta com a participação de cineastas como Jean Luc-Godard, Yann Le Masson ou Bruno Muel.

No sábado, dia 23, haverá uma sessão especial dedicada a Sarah Maldoror, poeta e cineasta francesa do movimento da negritude, uma das primeiras mulheres a dirigir uma longa-metragem num país africano, contando com a presença de uma das suas filhas, Annouchka de Andrade, na cidade do Porto para o Desobedoc.

Entre muitos outros filmes, o Desobedoc encerrará, como de costume, com um clássico que inspirou inúmeras lutas e ações de resistência noutros países, que será também revelado na sexta-feira.

Miguel Portas, Gisberta e Luísa Moreira homenageados

Miguel Portas, Gisberta Salce Júnior e Luísa Moreira serão também lembrados de formas diferentes na edição deste ano.

A Miguel Portas será dedicada uma sessão especial, no dia 24 de abril, quando passam dez anos sobre a sua morte, com um documentário sobre a luta do Sahara Ocidental, convocando-se vários testemunhos sobre o envolvimento do Miguel nesta e noutras causas.

Gisberta Salce Júnior, cujo nome foi finalmente aprovado pela comissão de toponímia da cidade do Porto no passado mês de março, será lembrada num filme de animação com vários testemunhos de quem a conheceu e de quem viveu por dentro os seus últimos meses, numa sessão em que essa curta dará mote a um debate.

A programação de curtas para crianças (Desobedoquinho) homenageia Luísa Moreira, ativista cultural incansável, antiga diretora de cena do Rivoli, directora de produção do Teatro Helena Sá e Costa, fundadora do Instituto Nacional das Artes Circenses, militante do Bloco que nos deixou em 2020. O Desobedoc retomará uma programação sua, feita a pedido do Cinema Insuflável, que nunca foi exibida e que poderá agora ser conhecida e concretizada.

O Desobedoc está de volta, ao vivo e a cores, para mais cinema insubmisso. A partir da próxima sexta-feira, e na sequência da apresentação pública do programa completo da mostra, toda a programação e horários estarão disponíveis no site desobedoc.net e nas redes sociais. O Esquerda publicará também, no fim de semana, um Dossier com a programação completa e vários textos sobre os temas da mostra deste ano.

Termos relacionados Desobedoc 2022, Cultura
(...)