Está aqui

Zeca Afonso em vídeo

Neste artigo, poderá aceder, entre outros, ao vídeo do concerto do Zeca Afonso no coliseu, em Lisboa, em 1983, a entrevistas concedidas pelo próprio à RTP e a uma televisão espanhola, assim como a um testemunho de Mário Viegas sobre o Zeca e a alguns tributos que lhe foram prestados após a sua morte.
Foto de Mário Tomé, flickr.

Em 29 de janeiro de 1983, Zeca Afonso deu um dos seus últimos concertos em Lisboa, no Coliseu. Este espectáculo contou também com as participações de Octávio Sérgio, António Sérgio, Lopes de Almeida, Durval Moreirinhas, Rui Pato, Fausto, Júlio Pereira, Guilherme Inês, Rui Castro, Rui Júnior, Sérgio Mestre e Janita Salomé.

Neste concerto, que iria dar origem ao álbum duplo Ao Vivo no Coliseu, são cantadas músicas como Do Choupal até à Lapa, Canção de Embalar, Saudades de Coimbra, Papuça, Os Vampiros, Canção da paciência, A Morte saiu à rua, Venham mais cinco, Natal dos Simples, Milho Verde, Era um redondo vocábulo e Balada do Mondego.

O palco encheu-se no final do espectáculo, ao som da música Grândola, Vila Morena, que havia sido eternizada como o símbolo da Revolução[i].

Veja aqui o vídeo deste concerto transmitido pela RTP Memória.

Em 1984, Zeca Afonso dá uma entrevista à RTP sobre os desafios que a juventude enfrenta e sobre a necessidade de os jovens se oporem a um modelo de sociedade que os oprime e que lhes é imposto, e que é “teleguiado de longe por qualquer FMI, por qualquer deus banqueiro”. 

Também em entrevista à RTP, Zeca Afonso fala sobre as razões que o levaram a fazer as canções que constam do seu reportório. Um excerto desta mesma entrevista também é reproduzido no programa Especial Zeca Afonso transmitido pela RTP Memória.

Em vídeo ficou também registada a opinião de Zeca Afonso sobre o documentário de António da Cunha Telles: "Continuar a viver ou Os índios da Meia-praia", a interpretação da música Menino do Bairro Negro, o clip promocional do álbum Galinhas do Mato e o testemunho de Zeca Afonso num programa de 1978 sobre o fado de Coimbra.

Pouco tempo antes de falecer, Zeca Afonso dá uma entrevista a uma televisão espanhola, onde fala, nomeadamente, sobre o seu paradeiro durante o 25 de abril de 1974, a sua participação na Revolução, a contra revolução e a necessária mobilização dos mais jovens.

Zeca Afonso na terceira pessoa

Neste vídeo, Mário Viegas fala de Zeca Afonso no Programa Os Amigos, da série "Palavras Vivas" de 1991, gravado em Santarém, no Teatro Taborda.

Luís Sepúlveda, no programa "Câmara Clara", relembra, por sua vez, o contacto com a música de José Afonso no Chile.

No documentário "Maior que o Pensamento", de Joaquim Vieira, uma produção Nanook, de 2011, para a RTP, os entrevistados são solicitados a definir o artista numa só palavra.

Numa produção do Expresso, que assinalou os 20 anos da morte de Zeca Afonso, alguns daqueles e daquelas que fizeram parte da sua vida relembram o cantor e poeta.

Poderá aceder aqui a outros vídeos de eventos de homenagem a Zeca Afonso.

 


[i] À meia-noite e vinte e cinco minutos do dia 25 de abril de 1974, a música Grândola Vila Morena, foi tocada no programa Limite da Rádio Renascença. Este era o sinal esperado pelas forças comandadas pelo MFA para saírem dos seus quarteis.

zeca_afonso-ao_vivo_no_coliseu_1983

Mário Viegas recita Zeca Afonso

Excerto de entrevista a José Afonso 1984

Entrevista a uma televisão espanhola

José Afonso sobre "Os índios da Meia-praia"

Menino do bairro negro

Clip promocional do álbum "Galinhas do Mato"

Coimbra Musical 3/5

José Afonso numa palavra

Zeca Afonso: Memórias de um artista cidadão

Testemunho de Luís Sepúlveda sobre José Afonso

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
(...)