You are here

Pingo Doce recua e mantém horários habituais

O grupo diz que a alteração de horário para as6h30 ao fim-de-semana gerou uma “controvérsia nacional” não desejada. Catarina Martins apelara ao Governo para “travar o abuso” dos hipermercados e diversas Câmaras proibiram estes horários.
Pingo Doce recupou e mantém horários
Pingo Doce recupou e mantém horários

O grupo Jerónimo Martins anunciou esta quinta-feira, 12 de novembro, que a maioria das suas lojas Pingo Doce passariam a abrir às 6h30 ao fim-de-semana, com o argumento de que queriam evitar a concentração de pessoas durante a manhã, devido às limitações de circulação.

Depois de imensos protestos e de proibições de diversas Câmaras (Lisboa, Loures, Cascais, Matosinhos), o grupo Jerónimo Martins recuou e anunciou que mantém os horários habituais das suas lojas.

A coordenadora do Bloco de Esquerda tinha criticado a decisão do Pingo Doce, considerando que “não tem sentido que os hipermercados possam aumentar uma concorrência desleal para com o pequeno comércio, alargando ainda mais os seus horários”, e afirmara que o Governo devia “travar o abuso” dos hipermercados.

Em comunicado, citado pela Lusa, o grupo Jerónimo Martins afirma que "a alteração extraordinária de horários comunicada pelo Pingo Doce gerou uma controvérsia nacional que não esperávamos e que não desejámos", em comunicado.

O grupo diz ainda que "a intenção do Pingo Doce ao decidir antecipar a abertura da maioria das suas lojas no próximo fim-de-semana era a de contribuir para evitar a concentração de clientes no período da manhã, facilitando o desfasamento das visitas numa altura em que a situação epidemiológica no país aconselha toda a prudência".

Catarina Martins tinha ainda afirmado: “O que está a ser pedido aos trabalhadores dos hipermercados, nomeadamente do Pingo Doce, que passem a abrir às 6h30 da manhã, é uma violência tremenda feita com a desculpa da pandemia. Temos visto muitos abusos aos trabalhadores com a desculpa da pandemia, este é certamente um deles e o governo deveria travá-lo”.

Termos relacionados Sociedade
(...)