You are here

“Organização de transportes públicos é um dos maiores desafios no desconfinamento”

A deputada Isabel Pires anunciou algumas das medidas do projeto entregue pelo Bloco esta quarta-feira para garantir a mobilidade da população em segurança. Proposta inclui algumas soluções que devem ser implementadas desde já.
A deputada Isabel Pires na Assembleia da República.
A deputada Isabel Pires na Assembleia da República. Foto de José Sena Goulão, Lusa Arquivo)

Durante a sua intervenção no Parlamento, a deputada bloquista afirmou que os números mais recentes da evolução da pandemia na Área Metropolitana de Lisboa “são preocupantes”, lembrando que 9 em cada 10 casos de novos infetados são na Grande Lisboa.

Isabel Pires avançou com duas causas que justificam esta realidade: “a retoma da normalidade na atividade industrial e a sobrelotação nos transportes públicos, nomeadamente na ferrovia”.

“Mais de 120 casos identificados nos últimos dias na Azambuja, no centro industrial que alberga a Sonae Distribuição ou a Avipronto, denotam riscos para os quais já tínhamos alertado: o retorno à normalidade laboral devia ter sido acompanhado mais de perto das autoridades de saúde”, avançou a dirigente do Bloco, defendendo que “as condições de trabalho têm de garantir medidas efetivas de defesa da saúde dos trabalhadores”.

A deputada considera que essas medidas “têm que ser garantidas pelas próprias empresas”, e que cabe às mesmas repensar os horários de trabalho por forma a permitir menor aglomeração de pessoas num mesmo local.

“É a ausência destas ações que ajuda a explicar a ‘situação complexa’ identificada na Grande Lisboa. Se aliarmos a isto as condições em que as pessoas têm que se deslocar para os locais de trabalho percebemos que os problemas se avolumam”, apontou.

De acordo com Isabel Pires, “em tempo de desconfinamento, um dos maiores desafios é, sem dúvida, a forma como se organizam os transportes públicos por forma a garantir a mobilidade da população em segurança”.

Estas preocupações têm vindo a ser colocadas pelo Bloco ao longo de todo este período junto do Governo, e motivaram a entrega, nesta quarta-feira, de “um projeto de resolução com soluções que devem ser implementadas o mais rapidamente possível”.

Conforme explicou a deputada bloquista, o Bloco quer seja colocada, no imediato, toda a capacidade existente nas Linhas mais sobrelotadas, como Azambuja e Sintra. Os bloquistas pretendem ainda garantir que o governo e as autoridades de transporte articulem já opções complementares rodoviárias nos mesmos percursos, por forma a garantir que não há sobrelotação das carruagens.

Isabel Pires alertou que “há condições económicas e sociais que fazem com que os efeitos da crise sejam mais penalizadores para quem depende do seu salário, e sabemos que ainda são baixos em Portugal”.

“Condições que fazem com que quem dependa dos transportes públicos esteja mais sujeito ao risco, quando devia garantir todas as condições de segurança e mobilidade”, acrescentou.

Neste contexto, a deputada destacou que “esta fase de desconfinamento, que é importante, não pode servir para acentuar desigualdades sociais e más condições laborais”.

“Pelo contrário, é preciso não deixar ninguém para trás e trabalhar para que todos e todas tenham a segurança de poder retomar a sua vida”, rematou.

 

Termos relacionados Covid-19, Política
(...)