You are here

Bandas sonoras em homenagem a Sassetti na Cinemateca

Dez anos passados da morte de Bernardo Sassetti, a Cinemateca mostra uma dúzia de filmes do compositor cuja ligação ao cinema terá começado nesta instituição.
Bernardo Sassetti.
Bernardo Sassetti.

A 13 de janeiro, na Cinemateca Portuguesa, em Lisboa, inicia-se o ciclo de cinema “Bernardo Sassetti – A música como ficção”. Doze filmes com banda sonora de Bernardo Sassetti serão exibidos ao longo do mês numa homenagem a um compositor português que como “nenhum outro” tem “uma tão ampla quantidade de bandas sonoras no currículo, marcando um percurso de íntima relação entre a música e a imagem”. Uma paixão que “terá mesmo começado na Cinemateca”, diz a instituição na mensagem em que anuncia o evento.

O ciclo abre com “Alice”, a primeira longa-metragem de Marco Martins, de 2005. Segundo a Cinemateca, o sucesso deste filme “esteve muito ligado à sua banda sonora” que foi composta e interpretada por Sassetti e que conta com o acompanhamento de Rui Rosa no clarinete e de Yuri Daniel no contrabaixo. Nesse dia, o realizador, a protagonista, Beatriz Batarda, e a diretora artística da Casa Bernardo Sassetti, Inês Laginha, marcarão presença.

Serão exibidas ainda outras películas como “Quaresma” de 2003, o último filme de José Álvaro de Morais, “A Costa dos Murmúrios”, de 2004, realizado por Margarida Cardoso, a curta-metragem "Um Dia Frio" de Cláudia Varejão, e “Como Desenhar um Círculo Perfeito” de 2009, outro filme de Marco Martins, para além de dois filmes de Mário Barroso: “O Milagre Segundo Salomé”, de 2004 e “Um Amor de Perdição”, de 2008, que contarão com a apresentação do realizador.

No encerramento será apresentado o filme mudo de Leitão de Barros, “Maria do Mar”, de 1930, para o qual Sassetti compôs uma partitura em 2000, altura que este foi restaurado.

Este ciclo está pensado como uma forma de homenagem ao compositor falecido em maio de 2012. Nesse ano, nasceu uma associação cultural chamada Casa Bernardo Sassetti para preservar o seu legado e que tem vindo a inventariar o conjunto da sua obra, nomeadamente partituras, gravações, fotografias, filmes e vários outros documentos.

Outras homenagens têm sido feitas, como a edição em álbum do espetáculo de 2011, “Menina do Mar”, em colaboração com Beatriz Batarda, um recital no centro de artes de Belgais com pianistas como Maria João Pires, Mário Laginha e Filipe Melo e o lançamento na semana passada do concerto de 2007 na Culturgest do Trio Bernardo Sassetti (que incluía, para além do pianista, Alexandre Frazão e Carlos Barretto). Estes dois músicos juntaram-se na mesma sala de espetáculos ao pianista João Paulo Esteves da Silva, no passado dia 15, para assinalar este lançamento.

Termos relacionados Cultura
(...)