Está aqui

Vírus HIV identificado há 25 anos, vacina ainda longe

Imagem computadorizada do vírus HIVFoi há 25 anos, no dia 29 de Maio de 1983, que a revista científica Science publicou um artigo assinado por doze investigadores que identificava o agente responsável pela sida, o LAV, de "Lymphadenopathy Associated Virus", rebaptizado depois para Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV). A descoberta levantou esperanças de que rapidamente pudesse ser criada uma vacina. Mas 25 anos e 25 milhões de mortos depois, a vacina parece estar ainda longe.

"Nos anos 90, foram feitas tentativas de criar uma vacina estimulando a produção de anticorpos para bloquear as partículas virais circulando no organismo", explicou ao diário francês Le Monde Frédéric Tangy, do Instituto Pasteur. "Mas, ao multiplicar-se, o vírus passa por mutações e inutiliza esta estratégia." Os investigadores tentaram então activar a produção de linfócitos CD8 "matadores de células", que reconhecem e eliminam as células infectadas. Mas esta estratégia também não funcionou, porque os CD8 precisam de CD4 que, por estar infectados, eram destruídos. E assim o sistema imunitário não funciona.

A verdade, constata Françoise Barré-Sinoussi, também do Instituto Pasteur, é que "não conhecemos ainda os mecanismos que permitam criar uma protecção eficaz contra esta infecção viral".

Em Dezembro de 2007, a Onusida e a Organisação Mundial de Saúde (OMS) tinham recenseados 33,2 milhões de portadores de HIV. Durante 2007 surgiram mais 2,5 milhões de novas infecções e morreram 2,1 milhões de pessoas.

Em Dezembro de 2007 estavam diagnosticados em Portugal 32.491 casos de infecção de VIH/SIDA, de acordo com o Centro de Vigilância Epidemiológica das Doenças Transmissíveis do Instituto Ricardo Jorge. No ano de 2007 registaram-se 965 novos casos, enquanto a 31 de Dezembro de 2006 existiam 987 novas infecções.

Leia o relatório sobre a situação em Portugal da infecção VIH/SIDA do Instituto Ricardo Jorge (PDF)

Termos relacionados Sociedade