Está aqui

Bruno Maia

Médico neurologista, ativista pela legalização da cannabis e da morte assistida

Artigos do Autor(a)

8 de Novembro, 2018 - 08:54h

Segundo a ERS, entre os 3 melhores hospitais a tratar doentes com Acidente Vascular Cerebral (AVC) estão o Hospital de Cascais e o Hospital de Vila Franca de Xira (ambos PPP...). Só que há um problema: nenhum destes hospitais trata o AVC!!

26 de Outubro, 2018 - 15:09h

Perante a dissonância podemos criar uma verdade nova, uma ideologia nova consonante com a realidade ou...

8 de Agosto, 2018 - 22:55h

Um país que não respeita as suas diferentes gerações, não se respeita a si mesmo.

29 de Maio, 2018 - 15:30h

A estratégia para impedir a despenalização da eutanásia é simples: criar medo, pânico, terror, decretar o apocalipse vindouro tão certo como uma vaca voar, com o intuito de convocar a dúvida.

13 de Maio, 2018 - 14:35h

Lentamente estamos a transformar o nosso serviço público de saúde num sistema misto em que o público, destinado aos mais pobres, será fraco e insuficiente e o privado, muito bem equipado, estará só acessível a quem o puder pagar.

1 de Abril, 2018 - 17:44h

A Gilead é uma empresa norte-americana que comercializa o Truvada, um antirretroviral utilizado como PrEP (pílula contra a sida). A Gilead é das companhias farmacêuticas mais lucrativas em todo o mundo. Por Bruno Maia.

17 de Março, 2018 - 11:45h

Tudo se resume a vontade política. A cannabis pode ser uma estratégia terapêutica como qualquer outra.

13 de Fevereiro, 2018 - 21:35h

Não tem sido fácil tornar claro o desenquadramento que existe entre o que representa a geringonça em termos de recuperação de pensões e salários e a política troikista do ministério da Saúde.

1 de Fevereiro, 2018 - 21:30h

Existem dois grandes e graves problemas com o Centro Hospitalar de Lisboa Central: o primeiro é a qualidade dos edifícios onde opera; o segundo é a sua dispersão.

16 de Dezembro, 2017 - 10:38h

A auto-preservação de uma IPSS significa manutenção de um problema. Manter um problema é o contrário de resolvê-lo.

Páginas