Está aqui

“Volta para a tua terra”, uma antologia antirracista e antifascista

A Editora Urutau vai lançar, no próximo domingo, dia 20, uma antologia de 49 poetas estrangeiros residentes em Portugal intitulada “Volta para a tua terra”. O título subverte uma agressão, transformando-a em poesia antirracista.
Foto de @EUrutau/Twitter

No próximo domingo, dia 20 de junho, um grupo de 49 poetas estrangeiros residentes em Portugal vai lançar a antologia antirracista e antifascista “Volta para a tua terra”. A publicação surge em resposta ao crescimento da extrema-direita e da narrativa colonial. O livro é lançado pela Editora Urutau, de naturalidade brasileira e com sede em Portugal e na Galiza.

De acordo com a Lusa, a editora entende a importância de utilizar a literatura como uma voz das coisas que precisam ser ditas, e como ferramenta para construir novas narrativas, prova disso é o título do livro, que subverte uma agressão, transformando-a em poesia antirracista.

O trabalho final resultou de uma uma “chamada pública”, da qual resultou a seleção destes 49 poemas inéditos, de 49 poetas naturais de nove países distintos, entre os quais 37 do Brasil e os restantes distribuídos entre Moçambique, Angola, Cabo Verde, Colômbia, Itália e Guadalupe. O que une os autores é o facto de todos terem residência fixa em Portugal e abordarem temáticas relacionadas com o racismo e a xenofobia.

A organização e curadoria da obra estiveram a cargo do editor Wladimir Vaz e da investigadora Manuella Bezerra de Melo.

Em declarações à Lusa, Manuella Bezerra de Melo lembra que “Portugal, este país de território pequenino na ponta da Península Ibérica, é pela história conhecido por sua essência exploratória, curiosa e desbravadora”. E justifica a necessidade de escrever este livro a partir da verificação do crescimento da extrema-direita em todo mundo, com fortes reflexos também em Portugal, expressados a partir da narrativa colonial, ainda muito viva no imaginário português, apesar da Revolução dos Cravos.

No mesmo sentido, o editor Wladimir Vaz questiona, para explicar a escolha do título da antologia: “Esta expressão dolorosa ‘volta para tua terra’ soa aos ouvidos como um eco amargo. Enquanto isto, nos perguntamos, a que terra devemos voltar? Em que terra deveríamos estar que não aquela que estamos agora? A quem pertencem estas terras todas? Os que nos mandam voltar a nossa terra seriam os mesmos que um dia [as] ocuparam violentamente?”

“Volta para tua terra: uma antologia antirracista/antifascista de poetas estrangeirxs em Portugal” já está em pré-venda, até dia 23 de junho, mas terá lançamento oficial no dia 20, na Casa do Capitão, localizada no Hub Criativo do Beato, em Lisboa.

Termos relacionados Cultura
(...)