Está aqui

Um quarto do Continente foi vendido a um fundo de investimentos

A CVC Strategic Opportunities comprou 24,99% da Sonae MC por 528 milhões de euros. A empresa que o lidera detém participações em 73 outras empresas de todo o mundo, desde a que organiza os campeonatos de fórmula um, a Avast, conhecida pelos anti-vírus, ou o Cortefiel.
Continente. Foto da CGTP.
Continente. Foto da CGTP.

Em comunicado publicado na página da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a Sonae anuncia a venda de 24,99% da Sonae MC, empresa dona do Continente, MeuSuper, Go Natural, Bagga, Wells, Dr.Wells, Zu, Note e Maxmat, à empresa de “private equity” CVC Strategic Opportunities por 528 milhões de euros. Está ainda previsto o pagamento contingente diferido de até 63 milhões de euros.

A administradora da Sonae, Cláudia Azevedo, fala numa “parceria de longo prazo” com “um dos investidores institucionais mais bem sucedidos do mundo” que “fortalecerá ainda mais a Sonae MC e sua estratégia de crescimento”. Esta estaria inserida numa “estratégia de gestão ativa de portfólio da Sonae, que procura a cada momento implementar a estrutura acionista ideal para cada um de seus negócios e unir forças com parceiros de elevado valor acrescentado”.

O mesmo comunicado cita ainda as declarações institucionais do comprador. Jan Reinier Voûte, da CVC Strategic Opportunities, escreve que “sob a liderança de Luís Moutinho, o Continente desenvolveu ofertas de excelência para todas as famílias portuguesas e estabeleceu uma forte fidelização e envolvimento dos clientes, tanto nas lojas como online”.

A operação avalia o capital social da Sonae MC em 2,4 mil milhões de euros, em termos do chamado “equity value”, sendo o “enterprise value” de mais de quatro mil milhões de euros. A empresa é líder no retalho alimentar, tem quase mil lojas e, nos últimos doze meses, gerou 5,2 mil milhões de euros em receitas.

O novo “parceiro estratégico” do negócio é um fundo criado em 2014 que alega ter investido até agora quatro mil milhões de euros. Este fundo é, por sua vez, propriedade da CVC, que se apresenta como líder mundial em “private equity” e crédito.

A empresa, fundada em 1981, tem cerca de 400 empregados e desdobra-se em vários fundos com investimentos em 73 outras empresas de todo o mundo. Foi criada pelo banco norte-americano Citicorp do qual se tornou independente nos anos 1990.

É dona, entre várias outras empresas do Formula One Group, que detém os direitos do campeonato da Fórmula um; da Avast, empresa de segurança tecnológica, do fabricante de relógios de luxo Breitling; do Cortefiel espanhol; do operador das loterias da Malásia e da empresa de assistência automóvel britânica RAC.

A venda foi assessorada, do lado da Sonae, pela Goldman Sachs International, pelo escritório de advogados Morais Leitão, Galvão Teles, Soares Da Silva & Associados - Sociedade De Advogados e pela Deloitte Corporate Finance. Do lado da CVC foi assessorada pela J.P.Morgan, os escritórios de advogados Cuatrecasas e Freshfields Bruckhaus Deringer, PwC e McKinsey & Company.

Termos relacionados Sociedade
(...)