Está aqui

Novo massacre de Israel: Tropas atiram a matar contra manifestação em Gaza

Pelo menos dezasseis palestinianos morreram e mais de mil e quinhentos ficaram feridos durante a manifestação junto à fronteira para assinalar o “Dia da Terra”.
Marcha do Retorno foi reprimida com fogo real pelas tropas de Israel esta sexta-feira em Gaza.
A Grande Marcha do Retorno juntou mais de 20 mil em vários pontos de Gaza. Foto Mohammed Saber/EPA

A “Grande Marcha do Retorno”, convocada para esta sexta-feira para assinalar o “Dia da Terra” — que recorda o massacre das manifestações de 30 de março de 1976 contra a confiscação de terras — resultou num novo massacre, quando as tropas israelitas dispararam fogo real sobre os mais de 30 mil manifestantes na fronteira de Gaza com Israel.

As concentrações realizaram-se em vários pontos de Gaza para exigir o regresso dos refugiados às suas casas, agora em territórios anexados por Israel. Os manifestantes queimaram pneus e atiraram pedras e cocktails molotov contra as barreiras fronteiriças. Segundo um porta-voz do exército israelita, as tropas responderam com material antimotim e “disparando contra os principais instigadores” do protesto.

Segundo as últimas notícias do Ministério da Saúde palestiniano, pelo menos quinze pessoas morreram, a maioria baleadas pelo exército israelita, e mais de mil e cem ficaram feridas.

Antes do início do protesto, um agricultor palestiniano foi morto por um disparo de um tanque israelita. Testemunhos recolhidos pela BBC indicam que a vítima, acompanhada por outro homem que ficou ferido, estavam a colher salsa naquele terreno. Um porta-voz do exército de Israel, também ciado pela BBC, afirmou que os dois homens se aproximaram da vedação, “começaram a agir de forma suspeita e o tanque disparou sobre eles”.

O governo de Israel responsabiliza o Hamas e as outras organizações palestinianas promotoras desta marcha pelos incidentes. A marcha desta sexta-feira pelo direito ao regresso a casa marca o início de uma vaga de protestos que culminará a 15 de maio, o dia da Nakba (catástrofe), que assinala a expulsão de centenas de milhares de palestinianos na criação do estado de Israel em 1948.


Notícia atualizada às 18h com os números de mortos e feridos confirmados pelo Ministério da Saúde da Palestina, reatualizada às 21.55h e às 11h de 31 de março de 2018

Termos relacionados Massacre na Palestina, Internacional
Comentários (1)