Está aqui

Quando perdemos o pé

O desemprego cresceu ao longo das últimas quatro décadas. O emprego em Portugal é temporário, instável, de enorme volatilidade. E este mês de abril mostra uma evolução que vai dar muito que falar. Por João Ramos de Almeida no Ladrões de Bicicletas.
Gráfico sobre valores mensais de desemprego em Portugal.
Gráfico sobre valores mensais de desemprego em Portugal.

Este estranho gráfico é a imagem da nossa fragilidade construída nos últimos 40 anos.

Grosso modo, esta foi a evolução do desemprego em Portugal nas últimas quatro décadas. Ao longo desses 40 anos, Portugal passou por fases de recessão e retoma e, no entanto, parece que nada disso influi. Parece que, apesar disso, continua a crescer o número de desempregados que, em cada vez maiores contingentes, se inscrevem nos centros de emprego.

Mas é mais do que isso. Como se pode ver na legenda, cada cor representa um mês e o seu valor representa o número de desempregados que se inscreveram nos centros de emprego nesse mês, em cada ano. É como se o desemprego - ainda que temporário - fosse uma fase necessária do emprego. E o emprego fosse de uma enorme volatilidade. Além disso, é cada vez mais elevada a amplitude entre os meses com mais baixos e mais altos valores, acrescentando mais um fator de instabilidade laboral.

gráfico

Sobre as causas dessa volatilidade e da fragilidade que nos traz essa instabilidade, pode ler mais aqui.

E agora concentre-se sobre a elipse final desta enorme serpente que nos envolve há 40 anos. Porque vai ouvir falar dela nos próximos meses.


Publicado por João Ramos de Almeida no blogue Ladrões de Bicicletas, 12 maio 2020.

Termos relacionados Blogosfera
(...)