Está aqui

Preso catalão em greve de fome foi transferido para enfermaria

Jordi Turull, um dos presos políticos catalães em greve de fome há 16 dias, foi transferido sexta-feira para a enfermaria da prisão Lledoners (Barcelona). Os quatro presos catalães protestam contra o bloqueio ao acesso à justiça europeia.
Jordi Turull iniciou greve da fome a 1 de dezembro e foi transferido para a enfermaria nesta sexta-feira
Jordi Turull iniciou greve da fome a 1 de dezembro e foi transferido para a enfermaria nesta sexta-feira

Jordi Turull, deputado suspenso de Junts per Catalunya, iniciou a greve da fome a 1 de dezembro. Segundo o médico dos quatro presos catalães, Jaume Padrós, a transferência de Jordi Turull para a enfermaria da prisão deveu-se à sua “situação individual”, ao “tempo decorrido” e também à necessidade de realizar um melhor acompanhamento médico da sua saúde na greve da fome.

Jaume Padrós refere que “não há sinais de alarme, faz parte do protocolo médico”. Turull sofre de apneias graves, que o obrigam a dormir desde o passado mês de julho com uma máquina de oxigénio, sob risco de morte súbita.

Jordi Turull e o expresidente da Assembleia Nacional Catalã (ANC) Jordi Sànchez iniciaram a greve de fome a 1 de dezembro de 2018, em protesto contra o bloqueio do Tribunal Constitucional de Espanha aos seus recursos da sua prisão e da sua suspensão de deputados, assim como o bloqueio ao acesso à Justiça europeia. A 3 de dezembro, juntaram-se à greve da fome Josep Rull e Joaquim Form, exgovernantes catalães. Os quatro dirigentes políticos catalães são membros do Junts per Catalunya.

Os quatro presos em greve da fome bebem entre um litro e meio e três de água por dia com complementos minerais. Realizam controles diários da tensão arterial e da glicose, semanalmente fazem análises ao sangue e os médicos da prisão fazem um relatório diário sobre o seu estado de saúde.

Termos relacionados Internacional
(...)