Está aqui

Pai de Bradley Manning critica tratamento dado pelo Pentágono ao filho

"Pisaram o risco. Isto está errado", diz Brian Manning, comparando o tratamento de Bradley com o dado aos presos de Guantánamo. Por Ed Pilkington, The Guardian
Brian Manning disse que a decisão de despir o prisioneiro, mantendo-o nu à noite, é uma forma de humilhação.

O pai de Bradley Manning quebrou o silêncio para denunciar a forma como o Pentágono está a tratar o soldado dos EUA suspeito de ser a fonte dos telegramas da diplomacia americana divulgados pela WikiLeaks.

Brian Manning disse que decidiu falar pela primeira vez desde que o filho foi transferido para a prisão militar da base naval de Quantico, na Virgínia, onde aguarda um tribunal marcial sob a acusação de entregar segredos de Estado a uma pessoa não autorizada. O pai Manning disse ter decidido protestar devido às condições em que o filho está detido.

"É suficientemente chocante para eu romper o silêncio, como membro da família, e dizer: 'Não, pisaram o risco. Isto está errado", disse Manning.

Ele sublinhou que o seu filho não "foi a julgamento ou foi condenado por nada." E refere-se ao centro de detenção de Guantánamo para suspeitos de terrorismo, dizendo: "Eles preocupam-se com as pessoas na base em Cuba, mas aqui temos alguém no nosso próprio solo, sob o nosso próprio controlo, e estão a tratá-lo desta forma".

Brian Manning disse que a decisão de despir o prisioneiro, mantendo-o nu à noite, é uma forma de humilhação. O Pentágono já disse que permite que Bradley Manning use roupa à noite, que o seu advogado descreveu como uma bata.

Brian Manning fez estas observações no programa de TV Frontline. Na entrevista, disse que foi o seu incentivo que levou Bradley a entrar no exército.

Manning pai serviu na marinha como especialista em informações, e foi lá que conheceu a mãe de Bradley, Susan, numa base dos EUA perto de Haverfordwest, no País de Gales. A família vivia em Crescent, uma pequena cidade de Oklahoma, onde Bradley nasceu em 17 de Dezembro de 1987.

Brian Manning disse que o seu filho se alistou no exército "depois de eu o ter convencido. Ele não queria alistar-se. Mas precisava estruturar a vida, estava sem rumo. Eu sabia por experiência que o alistamento na Marinha foi a única coisa que me deu uma estrutura, e tudo correu bem desde então."

Manning defendeu o seu filho das alegações de que ser a fonte dos documentos secretos retirados das bases de dados militares dos EUA e entregues à WikiLeaks. "Não sei por que ele faria isso, realmente não sei." Mas acrescentou que "seja quem for que tenha divulgado esses documentos, fez uma coisa errada. Simplesmente não se faz."

16 de Março de 2011

Tradução de Luis Leiria para o Esquerda.net

Artigos relacionados: 

Termos relacionados wikileaks, wikis
(...)