Está aqui

Mulheres polacas vencem a luta contra proibição total do aborto

O protesto da “segunda-feira negra” por parte das mulheres polacas deu resultado: a proposta de lei nascida da iniciativa legislativa cidadã que pretendia proibir o aborto em qualquer circunstância foi chumbada no parlamento por 352 votos contra 58.
Protesto na Polónia na passada segunda-feira contra a proibição do aborto.
Protesto na Polónia na passada segunda-feira contra a proibição do aborto.

A derrota desta proposta seguiu-se ao protesto massivo por parte das mulheres polacas, que na passada segunda-feira fizeram greve e manifestaram-se nas principais cidades do país.

Os mesmos deputados afetos ao maioritário Partido da Lei e Justiça (PiS) que encaminharam a proposta para aprovação no comité parlamentar, recuaram após a “segunda-feira negra”. Para a ex-primeira ministra e atual deputada da oposição Ewa Kopacz, o PiS “recuou porque ficou assustado com todas as mulheres que saíram à rua”.

O ministro da Ciência e Ensino Superior polaco já tinha dado a entender esta quarta-feira o provável recuo do partido nesta questão, ao dizer que as manifestações de segunda-feira “levaram-nos a refletir e ensinaram-nos a ser humildes”.

A proposta de proibir o aborto nas poucas circunstâncias em que é permitido na Polónia – risco de vida para a mulher, malformação irreversível do feto, violação ou incesto na causa de gravidez – surgiu na sequência de uma iniciativa cidadã com 450 mil assinaturas, apoiada pela igreja católica polaca.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)