Está aqui

MEO contrata enfermeiros para a linha SNS24 abaixo do valor praticado no SNS

Bloco considera que, “num momento em que os profissionais de saúde se mostram fundamentais para o país e para o contexto em que o país se encontra, não se compreende que se pretenda fazer reforço de profissionais com condições precárias e com degradação dos salários”.
Foto de ANTÓNIO COTRIM/LUSA.

Mediante a necessidade de reforçar a linha SNS 24, estão a ser recrutados enfermeiros para atendimento em distritos onde este serviço não possui Centros de Atendimento. Os trabalhadores são contratados para exercerem funções a partir do seu domicílio, utilizando para o efeito um dispositivo eletrónico, seja um computador pessoal, um tablet ou um smartphone. Esta é uma ferramenta que será direcionada para o atendimento a utentes que tenham testado positivo à covid-19 e que se encontrem assintomáticos.

Sublinhando a urgência de reforçar a linha SNS24, o deputado Moisés Ferreira aponta, por outro lado, que “as condições em que estes novos contratos são realizados merecem-nos as maiores dúvidas”.

Em causa está um contrato de prestação de serviços firmado com a MEO - Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A., entidade gestora do SNS24, que prevê uma retribuição de 7€ à hora, valor que é consideravelmente inferior à remuneração de um enfermeiro do Serviço Nacional de Saúde.

O dirigente bloquista considera que, “num momento em que os profissionais de saúde se mostram fundamentais para o país e para o contexto em que o país se encontra, não se compreende que se pretenda fazer reforço de profissionais com condições precárias e com degradação dos salários”.

“A linha SNS24 e os seus profissionais são importantes demais para estarem submetidos a tais condições”, defende Moisés Ferreira. O deputado lembra que, ainda recentemente, na mesma linha SNS24, se registaram situações de não pagamento a profissionais e questiona o ministério da Saúde sobre se a tutela tem intenções de exigir salários e condições de trabalho dignas nesse serviço.

Termos relacionados #SomosTodosSNS, Covid-19, Política
(...)