Está aqui

Manifestação em Lisboa assinala Dia da Memória Trans

Várias associações organizam este sábado uma manifestação e uma vigília contra a transfobia e em memória das vítimas de crimes transfóbicos.
Foto Ted Eytan/Flickr

A iniciativa co-organizada pelas organizações Transmissão, Rede Ex-Aequo, Casa T, Anémona e Ação pela Identidade terá início este sábado, 20 de novembro, pelas 13h30 no Largo do Intendente, com a manifestação a partir em direção a Praça do Município. Aqui será feita uma vigília em memória das vítimas mortais de crimes transfóbicos e uma sessão de microfone aberto e performances de artistas trans.

“Sabemos que estas vidas não são tiradas ao acaso. Por todo o mundo, os níveis de violência transfóbica aumentam ano após ano. Com uma ligação profunda à brutalidade racista, machista e xenófoba, a violência que sofremos ocupando corpos trans é uma violência que mata”, denunciam as associações no manifesto que convoca a iniciativa.

Além da insegurança no espaço público, o manifesto aponta também a desproteção social e a insegurança económica como parte do quotidiano de muitas pessoas trans. “Este sistema de violências interseccionais levam uma grande incidência de problemas de saúde mental graves que levam tantes de nós ao desespero e culminam demasiadas vezes em suicídio”, acusam.

As organizações sublinham ainda que “a luta pela libertação trans será sempre uma luta contra o capital” e um sistema “que depende do controlo dos nossos corpos e movimentos para se sustentar”. Por isso, prometem lutar “contra uma vida limitada pelos papéis que nos impõem, [e] para que ir além do padrão binário rígido e violento não seja a causa da nossa morte”.

 

Termos relacionados Sociedade
(...)