Está aqui

“Luta contra o racismo continua hoje a ser tão urgente como ontem”

Este domingo assinala-se o Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial. Beatriz Dias alerta que “a superação desta discriminação tem esbarrado numa gritante ausência de políticas públicas para o seu combate e numa obstinada negação do problema”.
Beatriz Dias. Foto de Ana Mendes.

O Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial foi instituído pelas Nações Unidas após o massacre Sharpeville, na África do Sul. A 21 de março de 1960, 69 pessoas foram assassinadas durante uma manifestação pacífica contra as injustiças do regime do apartheid.

De acordo com Beatriz Dias, “esta é uma data que nos deve convocar ao reforço da luta contra o racismo enquanto construção social que se alicerça em preconceitos e continua a colocar enormes obstáculos que impedem que tantas e tantos acedam a direitos fundamentais”.

“O ódio racial que nos últimos anos ganhou um novo fôlego em todo o mundo, incluindo em Portugal, é apenas a face mais visível da discriminação racial”, defende a deputada bloquista.

Beatriz Dias assinala que “o racismo atravessa as várias dimensões da vida em sociedade, produzindo e reproduzindo desigualdades que afetam pessoas racializadas, negras, ciganas e de outros grupos ou comunidades”.

“Estas pessoas não são apenas simbolicamente relegadas para as margens da sociedade ou mesmo dela excluídas, são também desproporcionalmente afetadas pela exploração laboral, pelos baixos salários, pela segregação territorial, pela precariedade habitacional, pela violência policial e pela negação de direitos políticos e de cidadania, entre múltiplas outras dimensões”, refere.

Beatriz Dias sublinha que “a superação desta discriminação tem esbarrado numa gritante ausência de políticas públicas para o seu combate e numa obstinada negação do problema”, e que “é por isso que a luta contra o racismo continua hoje a ser tão urgente como ontem”.

“A resistência daqueles e daquelas que nos precederam deve inspirar-nos a continuar este combate com a certeza de que só com a força e determinação é que a igualdade será conquistada”, remata.

Hoje, 21 de março, assinala-se o Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial. Este dia foi instituído...

Publicado por Beatriz Gomes Dias em Domingo, 21 de março de 2021

“O que polariza é a discriminação”

Em entrevista à Sic Notícias, Beatriz Dias reagiu ao anúncio da secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, no sentido de que o Governo vai iniciar na próxima semana a discussão pública de uma proposta de plano nacional de combate ao racismo e à discriminação. A candidata do Bloco à Câmara Municipal de Lisboa afirmou que este passo é importante para o “combate à negação sobre a prevalência do racismo como um fator que agrava a desigualdade” e para a construção de políticas públicas.

De acordo com Beatriz Dias, trata-se de “um debate muito importante na sociedade portuguesa” e que tem vindo a ser colocado na agenda política e mediática devido à mobilização das associações e das pessoas racializadas.

“Só vamos poder defender e aprofundar a democracia se tivermos um debate aberto e plural sobre o racismo e a discriminação racial”, defendeu.

Beatriz Dias desmontou a falácia de que o que polariza é o próprio debate. “O que polariza é a discriminação, o racismo, a exclusão social, a falta de oportunidades, são os obstáculos que se colocam às pessoas para o acesso direitos fundamentais”, vincou.

Assinalando que o “racismo combate-se em todas as dimensões da nossa vida”, Beatriz Dias alertou para a urgência de avançar com propostas robustas nessas diferentes dimensões.

 

Termos relacionados Política
(...)