Está aqui

Incêndios assolam sul da Europa

A Turquia está a enfrentar os piores incêndios da última década, com dezenas de aldeias e hotéis evacuados este domingo. Grécia, Itália e Espanha também enfrentam onda de calor e tentam fazer frente a intensos incêndios florestais.
Bombeiros combate incêndio na Turquia. Foto de ERDEM SAHIN/EPA/Lusa.
Bombeiros combate incêndio na Turquia. Foto de ERDEM SAHIN/EPA/Lusa.

Nos últimos anos, o impacto devastador dos incêndios florestais tem dominado as manchetes em todo o mundo. Os cientistas têm alertado que os incêndios recentes estão a tornar-se mais frequentes, intensos e generalizados. E apontam as alterações climáticas como a principal causa dos incêndios. Muitas vezes, a velocidade das chamas impede os bombeiros de parar e controlar a propagação do fogo e proteger casas e propriedades.

Os incêndios no oeste dos Estados Unidos e na Austrália estão entre os mais mortais. O incêndio que deflagrou na Austrália nas primeiras horas do novo ano em 2020 matou pelo menos 34 pessoas, cerca de três mil milhões de animais, e queimou 186 hectares. Este domingo deflagraram sete novos grandes incêndios nos Estados Unidos elevando o número total para 91.

Mas a Europa não escapa a esta realidade. Vários países do sul ao redor do Mediterrâneo estão a registar temperaturas muito elevadas e a assistir ao eclodir de um número de incêndios florestais superior ao normal.

Turquia enfrenta piores incêndios da última década

A Turquia está a enfrentar os piores incêndios da última década, com dezenas de aldeias e hotéis evacuados este domingo. Desde janeiro, já arderam quase 95 mil hectares, o que contrasta com a média de 13.516 hectares para esta altura do ano registada entre os anos 2008 e 2020. De acordo com dados divulgados pela União Europeia, a Turquia foi assolada por 133 incêndios desde o início do ano, o que compara com uma média de 43 fogos no mesmo período entre 2008 e 2020.

Desde a passada quarta-feira, perto de 1000 pessoas já necessitaram de assistência e mais de 1100 turistas tiveram de ser retirados através de embarcações da estância turística turca de Bodrum. Existem ainda, pelo menos, oito mortes a registar.

As temperaturas deverão permanecer altas, após terem atingido o pico de 49,1° a 20 de julho, em Cizre, Anatólia, no extremo sudeste da Turquia.

Mais de 800 fogos florestais em Itália

“Nas últimas 24 horas, os bombeiros realizaram mais de 800 intervenções: 250 na Sicília, 130 na Puglia e na Calábria, 90 na Lazio e 70 na Campânia”, escreve o corpo de bombeiros da Itália no Twitter. Segundo o relatório, os bombeiros ainda batalham contra os incêndios nas cidades sicilianas de Catânia, Palermo e Siracusa.

Na sexta-feira, 150 pessoas ficaram cercadas por incêndios em duas áreas da cidade portuária de Catânia, tendo de ser evacuadas por mar pela guarda costeira, segundo o jornal italiano Corriere Della Sera.

Mais de 20.000 hectares de floresta, olivais e plantações foram destruídos num incêndio na Sardenha no último fim de semana.

60 incêndios florestais em 24 horas na Grécia

Quase 300 bombeiros, dois aviões bombardeiros de água e cinco helicópteros lutavam este domingo contra um incêndio florestal na Grécia no domingo que destruiu casas e prédios agrícolas e feriu oito pessoas. O incêndio começou na manhã de sábado perto de Patras, no Peloponeso, cerca de 210 quilómetros a oeste de Atenas. As autoridades evacuaram cinco vilas e uma cidade do litoral.

A estância balnear de Loggos também foi evacuada, os serviços de emergência enviaram cerca de 100 residentes e turistas para a cidade vizinha de Aigio. O jornal local Patras Times noticiou que as chamas destruíram cerca de 30 casas, pavilhões agrícolas e estábulos nas aldeias de Ziria, Kamares, Achaias e Labiri. Os olivais locais também foram destruídos no incêndio.

No domingo, 67 bombeiros com 20 veículos lutavam contra um novo incêndio que eclodiu em Rodes, na região de Pandanassa, auxiliados por três aviões transportadores de água e quatro helicópteros.

O Sistema de Informação sobre Incêndios Florestais da UE disse que 13.511 hectares. foram queimados no domingo. O país enfrenta uma onda de calor desde sexta-feira, com temperaturas a oscilar entre 42 e 44º.

Em Espanha, os bombeiros lutaram neste fim de semana contra um incêndio perto do reservatório de San Juan, a cerca de 70 quilómetros de Madrid.

No seu quarto relatório de avaliação, o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) apontou que “perturbações como incêndios florestais e surtos de insetos estão a aumentar e provavelmente intensificar-se-ão num futuro mais quente com solos mais secos e estações de cultivo mais longas". E acrescentou: "Espera-se que as temperaturas mais quentes do verão aumentem a janela anual de alto risco de ignição por fogo em 10-30%".

Termos relacionados Ambiente
(...)