Está aqui

Hong Kong: liberdade para Liu Xiaobo!

Manifestação de quase mil pessoas na Região Administrativa Especial da China e ex-colónia do Império Britânico pede a libertação do nomeado Nobel da Paz chinês.

Quase mil pessoas protagonizaram no último domingo uma manifestação onde foi exigida a libertação do nomeado Nobel da Paz chinês Liu Xiaobo. Os manifestantes concentraram-se em frente à sede do governo de Hong Kong, dirigindo-se para as instalações do governo chinês na cidade.

Durante o percurso, gritaram a favor da famosa Carta 08, da qual o poeta e escritor Liu Xiaobo foi o principal signatário, exigindo liberdade política na China. Também reivindicaram liberdade para a esposa de Liu Xiaobo que, desde a nomeação do marido ao Nobel da Paz, se encontra em prisão domiciliar.

Por estar detido como “subversivo”, Liu não poderá comparecer à cerimónia de premiação do Nobel. A palavra subversivo, na maioria dos casos, sempre foi usada pelos governos conservadores e de direita para denegrir a imagem dos lutadores e activistas de esquerda. No caso de Liu, é um adjectivo paradoxal já que poderia ser subversivo por estar a lutar por um mundo comunista num país dirigido pelo Partido Comunista. A outra possibilidade é de que seja “subversivo” por defender a restauração capitalista. Mesmo nesse caso, seria curioso já que a guinada pela restauração capitalista foi dada pelo ex-líder comunista Deng Xiaoping na década de setenta e poderosamente implementada por seus sucessores, levando a China a ocupar o segundo posto na economia mundial.

O que atormenta a burocracia comunista chinesa é a possibilidade de qualquer democracia, já que mesmo uma pequena lufada democrática acabaria questionando os seus privilégios e a utilização da poderosa máquina estatal para beneficiar a nascente burguesia chinesa.

Artigos relacionados: 

Sobre o/a autor(a)

Termos relacionados Internacional
(...)