Está aqui

Festival de Dança Contemporânea vai ter lugar no final de setembro em Évora

Apesar da pandemia, o Festival Internacional de Dança Contemporânea vai realizar-se com uma programação reestruturada, com espetáculos ao vivo e conteúdos online e decorrerá entre 27 de setembro e 10 de outubro.
Foto da Companhia de Dança Contemporânea de Évora
Foto da Companhia de Dança Contemporânea de Évora

A Companhia de Dança Contemporânea de Évora (CDCE) anunciou nesta quinta-feira, 6 de agosto, que o Festival Internacional de Dança Contemporânea, vai realizar-se em 2020, apesar da pandemia.

O Festival terá “uma programação reestruturada, de forma a responder ao atual contexto de pandemia” provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, mas vai, como sempre, oferecer aos públicos dança e mais dança, refere um comunicado da CDCE, citado pela Lusa.

A companhia refere que os espetáculos e performances de “pequeno formato” para “plateias reduzidas”, serão apresentados ao ar livre e numa igreja e terão “o objetivo de, através da dança contemporânea, devolver alguma normalidade à vida”. O festival terá também iniciativas online.

Sem divulgar o programa completamente, a CDCE anunciou que o festival abrirá com “a nova criação da criadora emergente Carla Jordão, uma proposta da Companhia de Dança de Almada”, no dia 27 de setembro.

A 3 de outubro na igreja de São Vicente será apresentado o espetáculo “Ensaio sobre a Cegueira”, baseado na obra de José Saramago e uma criação da coreografa Nélia Pinheiro, da CDCE, do ano passado, em coprodução com a Câmara de Évora.

O festival será encerrado com uma nova criação de Nélia Pinheiro.

Na Internet, haverá conteúdos para o público infantil e serão divulgados também vídeos dança de criadores portugueses.

“A edição de 2020 terá um formato mais reduzido, mais intimista, mas a grande dimensão artística da linguagem da dança contemporânea estará presente”, destaca a CDCE

Termos relacionados Cultura
(...)